sábado, 14 de maio de 2011

"Rota da Lampreia"

Na sua primeira edição e tendo como promotor, o João Afonso, iniciou-se este ano, pois penso que é para continuar, a Rota da Lampreia.
Um pequeno grupo de rapaziada, Eu, o João Afonso, o Silvério, o Luís Lourenço e o Nuno Eusébio, saímos da cidade, pouco depois das 08h, em direcção a Monte do Arneiro, já no Alto Alentejo, para degustarmos um excelente arroz de lampreia, confecionado particularmente, só para nós, pelo amigo Joaquim.

Mas antes, tinhamos que nos divertir um pouco. O João Afonso lá "engendrou" um percurso para nós e claro, a diversão estava garantida, com uns carreirinhos para dar ao pedal.
A nossa primeira etapa, era os Amarelos para o pequeno almoço. O panike, não falhou a quase toda a malta. Seguiu-se Vila Velha de Rodão, com passagem em Sarnadas e Atalaia, onde fomos dar uma espreitadela a uma secção de veredas dos Trilhos da Açafa e, pelo Vale Salgado e Barragem do Açafal, chegámos a Vila Velha de Rodão.
Nova paragem, desta vez na Padaria da Zona Industrial para refrescar com uma bebida fresca.
Passámos depois a Ponte sobre o Rio Tejo, com a excelente visão sobre as Portas de Rodão e rumámos às Fisgas do Tejo, pelo excelente trilho da Ribeira do Fivelo. Espetacular.
Aí, parámos para comer algo sólido e continuámos a acompanhar a Ribeira, sempre pelo single track, que em subída, dá um gozo danado!!!
Pouco mais de um km em estradão, levou-nos a dificil subida, pelo areão e pedra roliça até à entrada de outro soberbo single track, também em subida, mas agora sobre pedra lascada.
De novo em estradão, fomos até ao miradouro das Portas de Rodão, com magníficas paisagens sobre o rio e Vila Velha de Rodão.
Descemos depois pelo trilho do PR4 para o Conhal, parte dele apeados, por não ser ciclável.
Fizemos uma visita ao Porto, com uma outra visão das Portas de Rodão.
Visitámos o Conhal, cerca de 9 ha de pedra redonda, espalhada pelo meio de velho olival.
Seguimos depois para o Monte do Arneiro, onde o nosso cozinheiro nos aguardava, com a iguaria já na fase final.
Um barril de cerveja, foi o inicio da hidratação, pois a rapaziada já ía sequinha e a poupar na água, não fosse a sede extinguir-se!!!
Sentámo-nos então à mesa e atacámos o delicioso petisco, em conversa e bincadeira animada.
Tanto eu, como o Nuno Eusébio, deliciámo-nos pela primeira vez com este excelente arroz de lampreia. Nunca tinha comido tal. Fiquei fã!!!
Inicialmente, o regresso era para ser de comboio, após 18 kms de pedaladas até Vila Velha de Rodão. Mas depois daquele petisco, a bike ficou posta de parte. Uns dormiram uma "sestinha"e outros conversaram.
Eu, acabei por vir de carro, pois a minha "Maria" foi-me buscar.
Um excelente dia de pedaladas, com um petisco final de cinco estrelas.
Venha o próximo.
Fiquem bem.
Vêmo-nos nos trilhos
. . . ou fora dels.
AC
Slideshow

1 comentário:

Anónimo disse...

Em primeiro lugar obrigado:
- Ao João Afonso pela espectacular receita que elaborou, a qual, através da sua execução, nos proporcionou um daqueles dias que nunca mais vamos esquecer, onde não faltaram ingredientes como, belos trilhos (com uma variedade tal que cobriu todos os tipos), muita camaradagem, amizade e convívio, boa comida e boa bebida.
- Ao Joaquim, pelo excelente prato de Lampreia que cozinhou e com o qual nos deliciamos durante o almoço, muito bem regado e a gosto, terminando com uma maravilhosa salada de fruta, que posso dizer, foi a "cereja no topo do bolo". Agradeço também e dou os parabéns pelo agradável espaço que pôs à nossa disposição, onde até deu para uma retemperante sestazinha, depois do cafézinho.
- A todos os executantes, incluindo eu, pelo desempenho EXCELENTE que tivemos na execução deste programa maravilhoso.
Mais um programa onde esteve bem patente aquilo que procuramos em tudo o que fazemos nas nossas vidas, seja a nível pessoal, familiar ou profissional - Melhoria Contínua.
Um nota específica para a LAMPREIA, ou melhor para o cozinheiro:
- Eu, que me considero um apreciador muito exigente de Lampreia, desde 1993, quero dar os merecidos parabéns ao cozinheiro, pois não ficou a perder em nada para a melhor que já comi até à data. O que também o atesta bem foi o facto dos dois caloiros nestas andanças terem repetido 3 vezes.
Um abraço para todos
Silvério