Avançar para o conteúdo principal

"XII Peregrinação a Fátima, por estrada"

Foi ontem, domingo, que eu, acompanhado do meu irmão Luís e do seu companheiro no 24EOX, da Trilhos Vivos, também de nome Luís, do Silvério, do Nuno Eusébio e do Pedro Barroca, concluímos a minha "XII Peregrinação a Fátima, por estrada com as nossas "anoréticas" e a que mais tarde se juntaram os nossos familiares.


Este, foi de facto o ano em que mais me diverti durante o trajecto. Foi o ano de estreia do Silvério, o nosso animador de serviço, que cumpriu plenamente, mantendo a malta sempre animada.


Do primeiro ao último km, a malta manteve-se sempre junta, sem fugas nem atrazos e com um andamento comum a todos. Não vos chamo peregrinos, porque creio que o não são, mas agradeço a vossa animada companhia, nesta minha obstinação anual.


Saímos da cidade, pelas 06h15 e efectuámos o trajecto que considero mais leve, em termos de esforço e mais curto em termos de quilometragem. (148 kms).


Passámos, o Perdigão e Vale da Mua, parando nas Moitas, para o cafézinho da manhã.


Continuámos depois por Caniçal, Arganil e Cabo, parando seguidamente no Robalo, pequena povoação onde vive o meu "velhote", para o cumprimentar e bebermos um copito para a viagem. Excepção feita ao Silvério, que como é mais lento, bebeu dois. Houve quem dissesse que quando arrancou, deixou no ar um cheiro a borracha queimada. eh eh eh!!!


Passada a Amêndoa, rumámos a Vila de Rei, cruzando-a em direcção a Ferreira do Zêzere, com nova paragem na ponte da barragem do Castelo de Bode, para abastecimento e contemplação, pois agora com a cota mais alta que o habitual, tem uma paisagem fantástica.


Subimos depois a Ferreira do Zêzere e parámos na padaria/pastelaria para comermos algo mais sólido e por alí estivémos bastante tempo, comendo bebendo e conversando, sem stress e sem pressas.


Tomámos depois o rumo de Tomar, onde entrámos, percorrendo parte da zona histórica, aconpanhando o Rio Nabão durante duas dezenas de metros, pela avenida principal, até virarmos à esquerda para Ourém.


Após passar Ourém e uns kms mais à frente, em Pinhel, virámos à esquerda para Fátima.

Optámos, como faço sempre, pela chegada por Alvega, onde a dificuldade é aumentada com a subida do Boi Negro, agora desaparecido e substituido por um barquinho azul.


Entrámos em Fátima e demos por terminada a nossa viagem, no Parque Nº.2, onde as famílias nos esperavam, para connosco almoçar e confraternizar.

Eram 14h e a nossa peregrinação estava cumprida.


Levámos merenda que dispusemos numa mesa, onde comemos e convivemos. Uns foram depois até ao Santuário agradecer à Santa a sua protecção e colocar algumas velas no crematório, outros tomaram outros rumos.


Mais um ano se passou, mais uma ligação cumprida. Para o ano, espero poder cumprir a minha "XIII Peregrinação", com o mesmo êxito deste ano.


Relativamente à Canyon CF 9.0 SL, que testo e adapto a uma outra aventura, em Agosto próximo, portou-se lindamente. É uma bike que me enche as medidas, pela forma como se comporta em todo o tipo de terreno.


Consegue-se um bom rendimento a subir, desce maravilhosamente e, com estas excelentes rodas Mavic Cosmic SL, rola na perfeição.


Canyon CF 9.0 SL, uma bike que não vou esquecer!!!

Fiquem bem.

Vêmo-nos nos trilhos

. . . ou fora deles.

AC

Comentários

Mensagens populares deste blogue

Alvaiade, Perdigão e Vila Velha de Rodão"

Hoje, com um pelotão mais numeroso, fomos tomar o cafézinho matinal à Bolaria Rodense, em Vila Velha de Rodão. Abandonamos a cidade pouco depois das 08h30 e rumamos ao Perdigão, com passagem por Sarnadas de Rodão e Alvaiade. Seguimos depois pela estradinha panorâmica que liga o Perdigão a Vila Velha de Rodão, usufruindo da bonitas paisagens sobre a Serra das Talhadas e Vilas Ruivas. Depois da pequena tertúlia na Bolaria Rodense e já com os níveis repostos, rumamos à cidade, com passagem pelo Coxerro e Sarnadas. Aqui voltamos a encontrar o Joaquim Cabarrão e o Salvado, que deram uma volta mais pequena e juntos seguimos até à entrada da cidade, onde nos voltamos a separar, pois o restante grupo foi pela variante à Carapalha. Numa manhã já bem primaveril, alinharam para esta bonita volta, além de mim, o Jorge Palma, Tó Pinto, Fernando "Caraíbas", Sr. Silva, António Leandro e o João Salavessa.  Foram 75 kms, repletos de divertidas pedaladas, na companhia deste animado grupo de …

"Rota do Bucho/2016"

Pelo segundo ano consecutivo, resolvi editar a Rota do Bucho, com um passeio pelos trilhos de Malpica do Tejo, uma bonita aldeia onde tenho raízes, que termina à mesa com um belo bucho de ossos à boa moda malpiqueira. Convidei um "magote" de amigos, dos quais dezasseis disseram presente. O ponto de reunião, foi desta vez na Pastelaria Cantinho dos Sabores, na Rotunda da Racha, onde tomamos o cafézinho matinal. Pelas 08h20 partimos em pelotão auto rumo a Malpica do Tejo, onde o Rui e a Sandra Tapadas já nos aguardavam. A previsão era de vento forte e alguns aguaceiros e desta vez o S. Pedro não nos "despontou", mandou mesmo umas belas rajadas de vento e umas belas bátegas de água, que nos atingiram por três vezes, um pouco no início desta pequena aventura, sensivelmente a meio, quando estávamos à vista de um local de abrigo, a aldeia de Lentiscais e no final, em jeito de banho. Pelas 09h00, como planeado, abandonávamos a aldeia rumo ao Monte do Couto do Alberto, en…

"Hoje fomos à romaria"

A manhã acordou hoje límpida e solarenga, num bom incentivo para um bom par de pedaladas asfálticas. Quando saí da garagem já o Álvaro e o Leandro me esperavam. Juntos fomos até à Rotunda das Violetas, ao encontro do Luís Lourenço e do Nuno Eusébio. Pouco depois chegou o Jorge Palma. Para não perder a prática tive ainda que mudar a câmara de ar da minha roda traseira que vinha com um pequeno furo, originado por uma limalha. Já com a "ézinha" pronta a rodar, fizemo-nos à estrada, abandonando a cidade pela Milhã, rumo ao Juncal do Campo pela estradinha panorâmica da Quinta de Valverde. Cruzamos a aldeia e entroncamos na N.12, onde fletimos à direita, rumo ao Padrão, uma pequena aldeia que este fim de semana se encontra engalanada para a festa da Nossa Senhora da Saúde. Entramos na aldeia e fomos tomar o cafezinho matinal no bar junto ao adro da igreja, gentilmente servido por um senhor, creio que festeiro, que fez questão de oferecer os cafezinhos e que agradecemos. Descemos …