Avançar para o conteúdo principal

"XII Peregrinação a Fátima, por estrada"

Foi ontem, domingo, que eu, acompanhado do meu irmão Luís e do seu companheiro no 24EOX, da Trilhos Vivos, também de nome Luís, do Silvério, do Nuno Eusébio e do Pedro Barroca, concluímos a minha "XII Peregrinação a Fátima, por estrada com as nossas "anoréticas" e a que mais tarde se juntaram os nossos familiares.


Este, foi de facto o ano em que mais me diverti durante o trajecto. Foi o ano de estreia do Silvério, o nosso animador de serviço, que cumpriu plenamente, mantendo a malta sempre animada.


Do primeiro ao último km, a malta manteve-se sempre junta, sem fugas nem atrazos e com um andamento comum a todos. Não vos chamo peregrinos, porque creio que o não são, mas agradeço a vossa animada companhia, nesta minha obstinação anual.


Saímos da cidade, pelas 06h15 e efectuámos o trajecto que considero mais leve, em termos de esforço e mais curto em termos de quilometragem. (148 kms).


Passámos, o Perdigão e Vale da Mua, parando nas Moitas, para o cafézinho da manhã.


Continuámos depois por Caniçal, Arganil e Cabo, parando seguidamente no Robalo, pequena povoação onde vive o meu "velhote", para o cumprimentar e bebermos um copito para a viagem. Excepção feita ao Silvério, que como é mais lento, bebeu dois. Houve quem dissesse que quando arrancou, deixou no ar um cheiro a borracha queimada. eh eh eh!!!


Passada a Amêndoa, rumámos a Vila de Rei, cruzando-a em direcção a Ferreira do Zêzere, com nova paragem na ponte da barragem do Castelo de Bode, para abastecimento e contemplação, pois agora com a cota mais alta que o habitual, tem uma paisagem fantástica.


Subimos depois a Ferreira do Zêzere e parámos na padaria/pastelaria para comermos algo mais sólido e por alí estivémos bastante tempo, comendo bebendo e conversando, sem stress e sem pressas.


Tomámos depois o rumo de Tomar, onde entrámos, percorrendo parte da zona histórica, aconpanhando o Rio Nabão durante duas dezenas de metros, pela avenida principal, até virarmos à esquerda para Ourém.


Após passar Ourém e uns kms mais à frente, em Pinhel, virámos à esquerda para Fátima.

Optámos, como faço sempre, pela chegada por Alvega, onde a dificuldade é aumentada com a subida do Boi Negro, agora desaparecido e substituido por um barquinho azul.


Entrámos em Fátima e demos por terminada a nossa viagem, no Parque Nº.2, onde as famílias nos esperavam, para connosco almoçar e confraternizar.

Eram 14h e a nossa peregrinação estava cumprida.


Levámos merenda que dispusemos numa mesa, onde comemos e convivemos. Uns foram depois até ao Santuário agradecer à Santa a sua protecção e colocar algumas velas no crematório, outros tomaram outros rumos.


Mais um ano se passou, mais uma ligação cumprida. Para o ano, espero poder cumprir a minha "XIII Peregrinação", com o mesmo êxito deste ano.


Relativamente à Canyon CF 9.0 SL, que testo e adapto a uma outra aventura, em Agosto próximo, portou-se lindamente. É uma bike que me enche as medidas, pela forma como se comporta em todo o tipo de terreno.


Consegue-se um bom rendimento a subir, desce maravilhosamente e, com estas excelentes rodas Mavic Cosmic SL, rola na perfeição.


Canyon CF 9.0 SL, uma bike que não vou esquecer!!!

Fiquem bem.

Vêmo-nos nos trilhos

. . . ou fora deles.

AC

Comentários

Mensagens populares deste blogue

"Passeio de Mota pela Galiza"

Mesmo com a meteorologia a contrariar aquilo que poderia ser uma bela viagem à sempre verdejante Galiza, 9 amigos com o gosto lúdico de andar de mota não se demoveram e avançaram para esta bonita aventura por terras "galegas"
Com o ponto de inicio no "escritório" do João Nuno para a dose cafeínica da manhã marcada para as 6 horas da manhã, a malta lá foi chegando.
Depois dos cumprimentos da praxe e do cafezinho tomado foi hora de partir rumo a Vila Nova de Cerveira, o final deste primeiro dia de aventura.
O dia prometia aguentar-se sem chuva e a Guarda foi a primeira cidade que nos viu passar. Sempre em andamento moderado, a nossa pequena caravana lá ia devorando kms por bonitas estradas, algumas com bonitas panorâmicas.
Cruzamos imensas aldeias, vilas e cidades, destacando Trancoso, Moimenta da Beira, Armamar, Peso da Régua, Santa Marta de Penaguião, Parada de Cunhos, Mondim Basto e cabeceiras de Basto, onde paramos para almoçar uma bela "posta", que es…

"Volta vadia a ver o mar"

"A felicidade é um fim de tarde olhando o mar" (Marina Nader)
 . . .e foi esse o objetivo deste meu passeio de bicicleta, que gosto de chamar de "volta vadia". Ir ver o mar na Figueira da Foz.
Delineei o percurso, circular como sempre, juntei um grupo de amigos, também eles fãs deste tipo de passeios velocipédicos e fizémo-nos à estrada.
Saímos de Castelo Branco pelas 06h00 e fomos tomar o primeiro cafezinho da manhã à Pastelaria "Estrela Doce", na Sertã, onde o meu irmão Luís nos esperava.
Depois da dose cafeínica e do pastelinho de nata, seguimos para Condeixa a Nova, o local de partida e chegada desta nossa pequena aventura, estacionando as viaturas no parque auto do Lidl.
Cerca das 08h30, já pedalávamos em direção a Ega, a primeira povoação que passaríamos rumo à Figueira da Foz.
O dia estava ótimo para pedalar e o pouco vento que se fazia sentir era nosso aliado.
Sempre em ritmo animado e em alegre cavaqueira, como é habito, quando algumas "per…

"O outro lado da Estrêla"

Uma vez mais, resolvi fazer umas das minhas "voltas vadias", programadas para este ano, que espero mais rico em aventuras lúdicas e de partilha com amigos. Criei um percurso que chamei de "o outro lado da Estrela", pois a nossa querida Serra da Estrela só é conhecida pela maioria da malta pelas " Torres, Adamastores e outros alimentadores de egos". Mas a serra não é só isso, tem o outro lado, bem bonito por sinal, repleto de lindas panorâmicas e bonitas aldeias. Umas históricas, outras não, mas todas elas com encanto e uma história para contar. Juntaram-se à minha ideia, 14 companheiros e amigos, todos eles ávidos de uma boa aventura e bons momentos de convívio e sã camaradagem. Juntámo-nos na Rotunda da Racha, junto à loja do David, a Feelsbike, pelas 07h00, rumando seguidamente ao Vale da Amoreira, onde estabelecemos o "paddock", junto à Casa de Pasto Ideal, para uma reposição calórica e hidratação atempada, logo após a chegada. Saímos para a…