quinta-feira, 21 de julho de 2011

"Martianas"

Apesar do vento que logo pela manhã se fazia sentir, enchi-me de coragem e fui pedalar.
O facto é que já estou farto de "ventania". Dezenas e dezenas de kms com vento frontal, dão cabo do "cortiço" a um homem!!!

Partida às 08h, velocidade de cruzeiro, com o objetivo de pedalar para aí uns 100 kms e, aí vou eu, em direção à Aldeia de Martianas. Um pequeno aglomerado de casas, cuja única rua é a estrada que a atravessa.

Passei a Zona Industrial de Alcains e a Rotunda ao Cruzamento para a Lardosa e após a passagem sobre a A23, virei à esquerda, duas centenas de metros mais á frente, para entrar na Aldeia de Soalheira, no sopé da Serra da Gardunha, parando nas bombas para atestar de cafeína, com a "bica" da praxe.
Tomei depois a direção das Atalaias, passando pela Póvoa da Atalaia e seguidamente Atalaia do Campo.
A meio trajeto para as Zebras, cruzei-me com a malta do "Continente", um bom "punhado" de malta e uma senhora, a "Tê", agora também rendida à asfáltica, que lá íam entretidos, em mais um dos seus passeios das "quintas".
Ao cruzamento das Zebras, virei à esquerda para a Orca, onde pedalei naquele suplício de asfalto, em tão mau estado, que se tivesse um estradão paralelo, era por lá que pedalava.
E assin continuei, após passar a Orca, agora em direcção às Martianas. Cada vez pior.
Uns kms mais à frente, o piso melhorou substancialmente, com a entrada no Concelho de Penamacor.

Entrei depois na Aldeia de Santa Margarida e à saída desta, virei de novo à esquerda para Pedrógão de S. Pedro.
Não cheguei a entrar na povoação, virando à direita para Proença-a-Velha e sempre pedalando e apreciando paisagens e aldeias por onde passava, continuei até S. Miguel D'Acha, onde parei, no Café da D. Maria, para uma bebida fresca e dois dedos de conversa.
Desci depois a S. Gens e continuei para os Escalos de Cima e Escalos de Baixo, já em direção à cidade, onde cheguei pelas 12h15, com 102 kms de pedalada em solitário, por opção, em busca do ritmo ideal para a minha aventura deste verão.

Fiquem bem.
Vêmo-nos nos trilhos
. . . ou fora deles.
AC

Sem comentários: