terça-feira, 19 de julho de 2011

Sobreira Formosa"

Hoje, fui pedalar até á Sobreira Formosa.
De manhã, fui espreitar á janela, ainda com receio que estivesse a ventania que ontem soprou ao fim da tarde e durante a noite.

Parecia tudo calmo. Preparei-me, vesti a "fatiota" do pedal e após tomar calmamente o pequeno almoço, fui buscar a "fininha", a Canyon Ultimate, que ainda se encontrava a descansar, após os 186 kms do Ibérico de domingo.
Saí da cidade pela Carapalha e pela variante, fui apanhar o IP2, para uns kms mais à frente, virar à esquerda para os Cebolais de Cima.
À entrada do Retaxo, virei novamente à esquerda para Cebolais de Baixo, onde entrei na estrada para as Sarnadas.
Agora na antiga N.18, pedalei até Vila Velha de Rodão, com passagem pelo Coxerro.
Parei na Padaria na Zona Industrial, para tomar a matinal dose de cafeína e segui em direcção a Vilas Ruivas, já com a ideia de castigar um pouco o "cabedal" com a subida ao Rei Wamba.
Passei o cruzamento de Vilas Ruivas e continuei por aquela estradinha panorâmica até ao Perdigão, continuando até à ponte sobre o Rio Ocreza, onde parei um pouco para apreciar a beleza do local.
Nova subida, agora até à Pedra do Altar, com passagem pelo Vale da Mua, onde me veio à memória a "tertúlia" do peixe frito, acompanhado de bons amigos, num dos meus raides.
O percurso aliviou um pouco até às Moitas, com passagem ainda em Pedra do Altar e Vale Clérigo.
Virei seguidamente à direita em direção à Sobreira Formosa. Uma boa descida é quase sempre sinal de uma boa subida e foi isso que aconteceu. Uma boa subida até ao cruzamento da bonita Aldeia de Xisto da Figueira, que tinha inicialmente pensado em visitar, mas optei por deixar para outro dia.
Na Sobreira Formosa, virei à direita, já a pensar encher os bidons de água na boa água da fonte da Froia e foi o que aconteceu.
Sob uma bela sombra, enchi os bidons e comi algo mais sólido, para depois continuar o meu passeio de hoje, passando ainda por Catraia Cimeira e Vale D'Água, antes de chegar a Sarzedas, onde parei novamente, no fontanário à saída, para encher de novo os bidons de água.

Novamente a pedalar, continuei por Cabeço do Infante Vilares e Taberna Seca, chegando à cidade pelas 12h30, com 108 kms pedalados em solitário, num percurso bastante ondulante e pejado de bonitas paisagens.
Fiquem bem
Vêmo-nos nos trilhos
. . . ou fora deles.
AC

Sem comentários: