Avançar para o conteúdo principal

"Senderos del Jálama - Sierra de Gata"

Tinha prometido a alguns amigos um regresso à bonita Sierra de Gata e com "uns rebuçadinhos para desembrulhar".
Não prometo muito, mas o que prometo cumpro e dentro do prazo. O ano, para mim, continua ter doze meses!!!
Aproveitando o bom tempo que se tem feito sentir, lá fomos, eu, o meu irmão Luís, o José Luís e o Vasco Sequeira, até à bonita povoação de Hoyos para darmos início a mais um dia de aventura.
Eu e o meu irmão juntámo-nos ao José Luís e ao Vasco no café junto ao chafariz, nos Escalos de Cima e ali tomámos a matinal dose de cafeína.
Já em Hoyos, partimos para os trilhos cerca das 08h30 logo com uma entrada algo trepidante numa bonita calçada romana, que nos fez saltitar durante um bom par de kms até entramos numa bonita mata de carvalhos, serpentando num bonito single track.
Senpre por "senderos e trialeiras" chegámos ao início da calçada medieval que dá acesso à lindíssima aldeia de Trevejo com o seu velho e altaneiro castelo a ver-nos subir aquele trepidante caminho milenar. Já é a terceira vez que por ali passo e presumo que não seja a última. Aquilo dá mesmo "pica"!!!
Subimos ao castelo para as fotos da praxe e não tivemos muita sorte com o barzito da aldeia, pois desta vez estava fechado, pelo que tivemos que nos contentar com a fresca àgua do fontanário à saída da aldeia, em direção a Villamiel.
Subimos à Estação Elevatória e continuámos durante algum tempo pelo velho caminho de Trevejo, virando depois à direita para um "adrenalínico" trilho, muito pedregoso em quase toda a sua extensão, que nos levou ao Pico Jálama. Um trilho bastante exigente e onde tivemos que mostrar que tinhamos algum "jeito" para enfrentar "calhaus"!!! Um gozo autêntico!!!
Contornámos o Pico Jálama, sempre em bonitos "senderos" e "arrepiantes trialeiras" tomando seguidamente o rumo às  velhas minas de volfrâmio, que não visitámos apesar de passarmos perto e descemos em direção ao Rio Payo, cruzando a Ponte del Gaz, onde entrámos numa sequência de estradões que nos levaram à aldeia.
Ali procurámos um bar para comer e beber, acabando por assentar "arraial" na "Cabana del Karacolito".
Um barzito bonito e aprazível, onde fomos bem recebidos e bem tratados pois o dono era um "aficionado" do Btt.
Umas peripécias por ali se passaram!!! Comeu-se bebeu-se . . . à grande e à francesa . . . neste caso à espanhola, com umas litradas, digo bem, litradas de "bueníssima e bien fria caña con limon", acabando com "las "chicas a bejaren lo maillot" do José Luís. E mais não digo!!!
Uma boa horita de momentos bem divertidos, mas havia que continuar. Despedimo-nos daquela malta simpática e acolhedora e fizemo-nos de novo aos trilhos.
Mais uns bons carreirinhos por entre matas de carvalhos e fantásticos singles ziguezagueando entre fetos e mato rasteiro, levaram-nos até Peñaparda, uma outra pequena povoação serragatina cheia de encanto e bonitas esplanadas a complementar uns barzitos castiços, onde mais uma vez a alegria e a reinação nos contagiou, enquanto bebiamos mais "unas cañitas", que nos atenuavam um pouco a sede e baixavam sobremaneira a temperatura corporal. A temperatura chgou aos 43 graus. Mas como bons beirões, somos como o granito, bem rijos e morenos. Lá diz o refrão da velha canção beirã!!!
Mais umas bonitas seções trialeiras, em montanha e com mato rasteiro, levaram-nos a um monte cujo nome não recordo, com uma fonte memorável, ali no meio de nenhures e com uma saborosíssima e fresquinha água, que nos sequiou a sede e encheu os bidons e camelbags.
Uma subida em estradão ao Puerto de Castilha com um final um pouco mais inclinado e técnico, foi o lançamento para o êxtase total. A longa descida em calçada romana com a extensão de 5,5 kms até à castiça Aldeia de Gata onde em mais uma longa paragem, voltámos a sequiar a sede com aquele belo nétar à moda espanhola. "As cañas con limon y unos bocadillos de bacon calientes. Una gozada!!!"
Já só faltavam cerca de 15 kms para o final, mas ainda faltavam uns trilhos divertidos para fechar este belo dia de pedaladas.
Seguimos agora em direção ao Camping da Sierra de Gata, onde chegámos por um single porreirinho e subimos ao cruzamento da Fatela por um "sendero espetacular"!!!
A partir daqui seguimos por estradões e uma antiga estrada que passa junto às piscinas naturais de Hoyos, onde chegámos um pouco cansados de tanta aventura e animação. Ainda com os olhos inflamados de tanta e soberba paisagem, de tantos e adrenalínicos trilhos.
A malta adorou e no ar ficou a promessa de mais uma ou duas incursões a esta bonita cordilheira ainda este ano. Sem stress . . . ainda faltam seis meses para o final do ano!!!
Contabilizando, foram 85 kms de puro e duro btt, bom convívio e muita animação e uma seleção de trilhos que a rapaziada gostou . . . e só por isso . . . cá estarei para descobrir mais uns cantinhos para a malta "pintar a manta" e descarregar o stress acumulado!!!

Fiquem bem.
Vêmo-nos nos trilhos,
ou fora deles.
AC

"filme (Parte I)



filme (Parte II)

Comentários

mário manso disse…
...mais uma! ... (idade da pedra) simplesmente "BRUTAL"fantásticos videos +fotos...desta vez com mais pedras mas valeu pelos trilhos...um abraço AC e para o restante pessoal

Mensagens populares deste blogue

Alvaiade, Perdigão e Vila Velha de Rodão"

Hoje, com um pelotão mais numeroso, fomos tomar o cafézinho matinal à Bolaria Rodense, em Vila Velha de Rodão. Abandonamos a cidade pouco depois das 08h30 e rumamos ao Perdigão, com passagem por Sarnadas de Rodão e Alvaiade. Seguimos depois pela estradinha panorâmica que liga o Perdigão a Vila Velha de Rodão, usufruindo da bonitas paisagens sobre a Serra das Talhadas e Vilas Ruivas. Depois da pequena tertúlia na Bolaria Rodense e já com os níveis repostos, rumamos à cidade, com passagem pelo Coxerro e Sarnadas. Aqui voltamos a encontrar o Joaquim Cabarrão e o Salvado, que deram uma volta mais pequena e juntos seguimos até à entrada da cidade, onde nos voltamos a separar, pois o restante grupo foi pela variante à Carapalha. Numa manhã já bem primaveril, alinharam para esta bonita volta, além de mim, o Jorge Palma, Tó Pinto, Fernando "Caraíbas", Sr. Silva, António Leandro e o João Salavessa.  Foram 75 kms, repletos de divertidas pedaladas, na companhia deste animado grupo de …

"Hoje fomos à romaria"

A manhã acordou hoje límpida e solarenga, num bom incentivo para um bom par de pedaladas asfálticas. Quando saí da garagem já o Álvaro e o Leandro me esperavam. Juntos fomos até à Rotunda das Violetas, ao encontro do Luís Lourenço e do Nuno Eusébio. Pouco depois chegou o Jorge Palma. Para não perder a prática tive ainda que mudar a câmara de ar da minha roda traseira que vinha com um pequeno furo, originado por uma limalha. Já com a "ézinha" pronta a rodar, fizemo-nos à estrada, abandonando a cidade pela Milhã, rumo ao Juncal do Campo pela estradinha panorâmica da Quinta de Valverde. Cruzamos a aldeia e entroncamos na N.12, onde fletimos à direita, rumo ao Padrão, uma pequena aldeia que este fim de semana se encontra engalanada para a festa da Nossa Senhora da Saúde. Entramos na aldeia e fomos tomar o cafezinho matinal no bar junto ao adro da igreja, gentilmente servido por um senhor, creio que festeiro, que fez questão de oferecer os cafezinhos e que agradecemos. Descemos …

"Rota do Bucho/2016"

Pelo segundo ano consecutivo, resolvi editar a Rota do Bucho, com um passeio pelos trilhos de Malpica do Tejo, uma bonita aldeia onde tenho raízes, que termina à mesa com um belo bucho de ossos à boa moda malpiqueira. Convidei um "magote" de amigos, dos quais dezasseis disseram presente. O ponto de reunião, foi desta vez na Pastelaria Cantinho dos Sabores, na Rotunda da Racha, onde tomamos o cafézinho matinal. Pelas 08h20 partimos em pelotão auto rumo a Malpica do Tejo, onde o Rui e a Sandra Tapadas já nos aguardavam. A previsão era de vento forte e alguns aguaceiros e desta vez o S. Pedro não nos "despontou", mandou mesmo umas belas rajadas de vento e umas belas bátegas de água, que nos atingiram por três vezes, um pouco no início desta pequena aventura, sensivelmente a meio, quando estávamos à vista de um local de abrigo, a aldeia de Lentiscais e no final, em jeito de banho. Pelas 09h00, como planeado, abandonávamos a aldeia rumo ao Monte do Couto do Alberto, en…