Avançar para o conteúdo principal

"Transpirenaica em Btt - Dia 1"

Após 1029 kms percorridos naquela que é considerada a a mais comprida e dura travessia da Peninsula Ibérica, com um acumulado positico de 25.587 m.
Esta travessia cheia de encanto e bastante atrativa, passa pelos belos parques naturais e cumes montanhosos mais representativos dos Pirineus Catalães, Aragoneses e Navarros.
O dia D chegou finalmente e no passado dia 19 do corrente mês, rumei a Lisboa, na companhia do Carlos Pio, numa viatura comercial alugada que nos transportou assim como as bikes ao Aeroporto da Portela, em Lisboa.
Aqui nos juntámos aos outros dois companheiros de aventura, o Didier Valente e o Bruno Malheiro.
Depois das habituais peripécias, novo para mim, do check in com as caixas das bikes, a entrega para embarque e outras peripécias, que se tornaram algo cansativas, lá embarcámos num avião da Easy Jet, pelas 10h30, rumo a Barcelona.
A viagem com a duração de cerca de hora e meia decorreu sem incidentes, com a malta a passar "pelas brasas" durante quase todo o percurso.
No Aeroporto de Barcelona, de novo a "canseira" da recolha das caixas das bikes e dos alforges e arrasstá-las para o autocarro que nos levou à estação da RENFE, onde apanhámos o comboio para Sants.
Aqui esperámos cerca de meia hora e apanhámos outro comboio para Llançá.
Durante o percurso e sempre que no nosso espaço se criava alguma amplitude, íamos montando as bikes e quando o comboio parava nalguma estação, lá ia o Bruno Malheiro numa corridinha à plataforma deixar a caixa vazia. E esta, heim!!!
Chegámos a Llançá ao fim da tarde e já com as bikes montadas com alforges, eu e o Carlos, pois o Didier e o Bruno, levavam mochila.
Alojámo-nos então no Albergue junto à estação arrumámos a "tralha" e fomos à procura de jantar.
No dia seguinte estava toda a malta com a adrenalina em alta, pronta para afrontar o nosso primeiro dia de pedaladas e desta grande aventura.
Saímos cedo, pouco depois das 07h e fomos até à praia de Llançá, uma pacata aldeia turística da costa mediterrânica..
Na primeira subida do dia, ao alto de San Silvestre, apenas percorridos os primeiros 5 kms, a corrente da bike do Bruno Malheiro, não aguentou a sua vigorosa pedalada e "rendeu-se", prostando-se no solo.
Um link colocado pelo Didier, pô-la de novo "ativa" e lá continuámos a nossa primeita etapa em direção a Albanyá.
Passámos por Villaminiscle e Aguillana, chegando a Darnius por um trilho que atravessa um magnífico bosque de sobreiros.
depois da povoação de Darnius, cruzámos a ponte sobre o Rio Arnera e iniciámos a subida ao Collado de la Creu de l'Ocell, curta, mas bastante dura, para quem carrega alforges.
Seguidamente descemos a San Lorenç de la Muga e continuámos até Albanyá, com passagem pelo espetacular Pântado de La Boadella, alojando-nos num bungalow no Camping "La Bassagoda".
Neste nosso primeiro dia de pedaladas, percorremos a zona norte do l'Alt Empordá e Garrotxa Ampurdanesa.
Uma etapa mais dura do que inicialmente tinha previsto, quiçá derivado à minha inexperiência com alforges acoplados à bike, que a elevava para os cerca de 25 kgs, mas que ao longo dos kms, fui aprendendo a dominar.
CONTINUA . . .






Fiquem bem.
Vêmo-nos nos trilhos,
ou fora deles.
AC


Comentários

Mensagens populares deste blogue

"Passeio de Mota pela Galiza"

Mesmo com a meteorologia a contrariar aquilo que poderia ser uma bela viagem à sempre verdejante Galiza, 9 amigos com o gosto lúdico de andar de mota não se demoveram e avançaram para esta bonita aventura por terras "galegas"
Com o ponto de inicio no "escritório" do João Nuno para a dose cafeínica da manhã marcada para as 6 horas da manhã, a malta lá foi chegando.
Depois dos cumprimentos da praxe e do cafezinho tomado foi hora de partir rumo a Vila Nova de Cerveira, o final deste primeiro dia de aventura.
O dia prometia aguentar-se sem chuva e a Guarda foi a primeira cidade que nos viu passar. Sempre em andamento moderado, a nossa pequena caravana lá ia devorando kms por bonitas estradas, algumas com bonitas panorâmicas.
Cruzamos imensas aldeias, vilas e cidades, destacando Trancoso, Moimenta da Beira, Armamar, Peso da Régua, Santa Marta de Penaguião, Parada de Cunhos, Mondim Basto e cabeceiras de Basto, onde paramos para almoçar uma bela "posta", que es…

"Passeio de mota pelo Geopark Las Villuercas e Guadalupe"

"Feliz do homem que possui uma moto, ele pode viajar, ver paisagens e entender-se a si próprio." (Eric Viking) Hoje foi dia de dar liberdade à mota. Na companhia dum casal amigo, o José Paulo e a Carla, fomos passear de mota pelas Dehezas Extremeñas, Geopark de las Villuercas e uma pequena visita a Guadalupe, um dos mais bonitos "pueblos" de Espanha. marcamos encontro na Pastelaria "A Ministra", numa das rotundas do Bairro da Carapalha e pouco depois das 08h30, já com a matinal dose de cafeína ingerida, fizemo-nos à estrada. Rumamos a Segura, onde entramos na "tierra de nuestros hermanos" seguindo depois até á Ponte Romana de Alcântara, onde efetuamos uma pequena paragem para apreciar aquela fantástica obra de engenharia romana que maravilhou o mundo antigo. Com uma história que se perde no tempo, esta ponte carrega peripécias e curiosidades. Não entramos na povoação e por uma estradinha "vecinal" seguimos para Mata de Alcântara e Gar…

"Volta vadia a ver o mar"

"A felicidade é um fim de tarde olhando o mar" (Marina Nader)
 . . .e foi esse o objetivo deste meu passeio de bicicleta, que gosto de chamar de "volta vadia". Ir ver o mar na Figueira da Foz.
Delineei o percurso, circular como sempre, juntei um grupo de amigos, também eles fãs deste tipo de passeios velocipédicos e fizémo-nos à estrada.
Saímos de Castelo Branco pelas 06h00 e fomos tomar o primeiro cafezinho da manhã à Pastelaria "Estrela Doce", na Sertã, onde o meu irmão Luís nos esperava.
Depois da dose cafeínica e do pastelinho de nata, seguimos para Condeixa a Nova, o local de partida e chegada desta nossa pequena aventura, estacionando as viaturas no parque auto do Lidl.
Cerca das 08h30, já pedalávamos em direção a Ega, a primeira povoação que passaríamos rumo à Figueira da Foz.
O dia estava ótimo para pedalar e o pouco vento que se fazia sentir era nosso aliado.
Sempre em ritmo animado e em alegre cavaqueira, como é habito, quando algumas "per…