quarta-feira, 1 de agosto de 2012

"Cambas"

"Deitar cedo e cedo erguer, dá saúde e faz crescer"
Mas não só. Dar umas voltinhas agradáveis de bike também são saudáveis e lúdicas.
Pelas 07h, juntei-me ao António Leandro e fomos dar uma voltinha de bike para os lados do "pinhal".
A manhã estava bastante agradável e com uma temperatura bem mais amena.
Saímos da cidade pelo lado do Continente em direção ao Salgueiro do Campo. A aragem fresca sabia bem e o céu limpido antevia um dia bem bonito.
A partir da Ponte do Rio Tripeiro, ao cruzamento para o Chão-da-Vã, foi sempre a subir até à Foz do Giraldo, com algum alívio à passagem pela Reta das Esteveira e aproximação à Lameirinha.
À passagem pela Lameirinha, ainda olhámos para o Café, mas este estava ainda fechado. Eram 07h55.
Na Foz do Giraldo, optámos por ir até Cambas, uma bonita povoação na margem do rio Zêzere.
Passámos pelas Casas da Zebreira, onde me veio à memória um bonito passeio de Btt que ali fiz o ano passado com alguns amigos e, uns kms mais à frente pelo Orvalho, aldeia onde nunca mais parei desde o episódio em que tentaram roubar as bikes da malta, junto ao café da rotunda.
Sete kms sempre a descer separavam-nos de Cambas.
Presume-se que o nome Cambas seja de origem Celta e que significa "Curvas do Rio"!!!
Parámos no Café-Restaurante antes da Ponte, onde bebericámos calmamente o cafézinho matinal, em amena conversa na esplanada.
Passámos depois o rio e entrámos na povoação, voltando a cruzar o rio em direção ao Roqueiro.
Já hà muito tempo que não fazia a subida ao Roqueiro e a última vez que a fizera, ainda a estrada era com um piso mais irregular.
Surpreendeu-me o novo piso e o fato de estar um pouco mais larga, o que ajudou bastante a vencer aquela dura e interminável subida.
No Roqueiro entrámos na N.238, de novo em direção à Foz do Giraldo, com passagem pela Ameixoeira e Estreito, num sobe e desce em que o acumulado já nos aconselhava a alguma moderação.
Entrámos novamente na N.112 que nos trouxera até à Foz do Giraldo, para rumarmos a Castelo Branco pelo percurso inverso.
Fizemos nova paragem na Lameirinha para nos refrescarmos com uma bebida e comermos algo, pois a voltinha de hoje era um pouco mais musculada que as anteriores.
Entrámos na cidade pelas 12h15, com 114 kms pedalados num bonito circuito pejado de zonas montanhosas e profundos vales, criando bonitas panorâmicas.


Fiquem bem
Vêmo-nos nos trilhos, ou fora deles.
    AC



Sem comentários: