Avançar para o conteúdo principal

"Lousa, Lurgo da Nogueira e Mata"

Ontem, recebi um convite do Carlos Sales para umas pedaladas de Btt.
Já hà algum tempo que não pedalávamos juntos e foi bom rever e partilhar alguns trilhos com o Carlos.
Convenci-o fácilmente a sairmos pelas 07h, a fim de evitarmos um pouco o calor mais junto ao meio dia.
Fomos então dar um bonito passeio, calmo e descontraído, até ao Lurgo da Nogueira e dar uma espreitadela à Ribeira de Alpreade.
Saímos da cidade pela Quelha dos Desembargdores, virámos para o Alagão e espreitámos o desenvolvimento da nova pista de aviação cá do burgo. Só espero que não venha a ser mais um "Elefante Branco" no distrito.
Cruzar a zona das obras é sempre um pequeno sarilho, em busca do trilho do outro lado!!!
Lá o encontrámos e passámos pela Quinta do Curral do Prego, com ligação a Monte Brito.
A manhã ainda estava fresca, mas já se avizinhava um dia de calor, lá para o meio da manhã.
Cruzámos a N.240 em direção ao Alto da Cancelinha e contornámos a Quinta da Espadaneira, cruzando a via férrea para a Quinta de Santa Apolólia, por onde demos entrada em Alcains, virando para a Estação.
Cruzar a linha férrea com as bikes é sempre uma complicação, mas lá o fizémos junto à antiga passagem de nível, sempre com o olho no horizonte.
O nosso destino era agora Escalos de Cima, onde chegámos pelo estradão das hortas.
Cruzámos a aldeia e subimos ao depósito de água, descendo seguidamente à Lousa, onde parámos no café da Ti Rosalina para o cafézinho habitual, que desta vez trocámos por outro tipo de cafeína . . . uma cola fresquinha!!!
Ali soubemos que a simpática senhora tinha sido atropelada há cerca de um mês e que ainda se encontrava em fase de recuperação no hospital. Desejo-lhe umas rápidas melhoras!!!
Saímos da Lousa pelo lado de cemitério e com passagem pelas terras da Navancha e Nesvelha, descemos ao Lurgo da Nogueira e antiga passagem daquela Ribeira em direção a Idanha-a-Nova.
Agora com a construção da nova ponte, já existe ligação alcatroada desde a Mata, junto às Bacias, até aquela vila.
Demos uma espreitadela à ribeira, cujo leito mostra bem a secura que tem sido este ano com a falta de chuva.
Os terrenos estão cada vez mais áridos e os trilhos mais poeirentos.
Subimos ao Monte da Nogueira por um trilho que me agrada bastante e passámos junto ao paredão da barragem, onde virámos em direção à pequena Capela de S. Giraldo, entrando no portal para o Monte do Frei Simão.
Subimos até às proximidades das bacias e apanhámos alguns dos estradões em direção à Mata, onde efetuámos nova paragem, para nos refrescarmos com uma bebida fresca e comer algo mais sólido.
Já um pouco mais recuperados do calor e com o estômago mais aconchegadinho, entrámos na quelha defronte da Capela de S. Pedro, que seguimos até à Tapada do Zé Lopes e depois pelo estradão, até à N.240, que cruzámos, continuando em direção a Monte de S. Luís.
Aqui, pedalámos numa bonita trialeira que nos levou até ao Monte da Capa Rota, onde entrámos no asfalto já em direção à cidade.
Junto à Pedra da Garalheira, encontrámos dois companheiros, também de Btt, que acompanhámos até á entrada na cidade.
Eram 11h15 e o calor já fazia mossa. Sair cedo custa um bocadinho . . . para alguns!!! Mas poupa-se uma hora de calor, nesta altura do ano.
Eu e Carlos, despedimo-nos dos casuais companheiros e fomos mais uma vez refrescar-nos, desta vez até à Pizaria na Avenida do Brasil, onde nos despedimos, após uma bonita manhã de Btt.

Fiquem bem.
Vêmo-nos nos trilhos, ou fora deles.
AC






Comentários

Mensagens populares deste blogue

"Rota do Bucho/2016"

Pelo segundo ano consecutivo, resolvi editar a Rota do Bucho, com um passeio pelos trilhos de Malpica do Tejo, uma bonita aldeia onde tenho raízes, que termina à mesa com um belo bucho de ossos à boa moda malpiqueira. Convidei um "magote" de amigos, dos quais dezasseis disseram presente. O ponto de reunião, foi desta vez na Pastelaria Cantinho dos Sabores, na Rotunda da Racha, onde tomamos o cafézinho matinal. Pelas 08h20 partimos em pelotão auto rumo a Malpica do Tejo, onde o Rui e a Sandra Tapadas já nos aguardavam. A previsão era de vento forte e alguns aguaceiros e desta vez o S. Pedro não nos "despontou", mandou mesmo umas belas rajadas de vento e umas belas bátegas de água, que nos atingiram por três vezes, um pouco no início desta pequena aventura, sensivelmente a meio, quando estávamos à vista de um local de abrigo, a aldeia de Lentiscais e no final, em jeito de banho. Pelas 09h00, como planeado, abandonávamos a aldeia rumo ao Monte do Couto do Alberto, en…

"Hoje fomos à romaria"

A manhã acordou hoje límpida e solarenga, num bom incentivo para um bom par de pedaladas asfálticas. Quando saí da garagem já o Álvaro e o Leandro me esperavam. Juntos fomos até à Rotunda das Violetas, ao encontro do Luís Lourenço e do Nuno Eusébio. Pouco depois chegou o Jorge Palma. Para não perder a prática tive ainda que mudar a câmara de ar da minha roda traseira que vinha com um pequeno furo, originado por uma limalha. Já com a "ézinha" pronta a rodar, fizemo-nos à estrada, abandonando a cidade pela Milhã, rumo ao Juncal do Campo pela estradinha panorâmica da Quinta de Valverde. Cruzamos a aldeia e entroncamos na N.12, onde fletimos à direita, rumo ao Padrão, uma pequena aldeia que este fim de semana se encontra engalanada para a festa da Nossa Senhora da Saúde. Entramos na aldeia e fomos tomar o cafezinho matinal no bar junto ao adro da igreja, gentilmente servido por um senhor, creio que festeiro, que fez questão de oferecer os cafezinhos e que agradecemos. Descemos …

Alvaiade, Perdigão e Vila Velha de Rodão"

Hoje, com um pelotão mais numeroso, fomos tomar o cafézinho matinal à Bolaria Rodense, em Vila Velha de Rodão. Abandonamos a cidade pouco depois das 08h30 e rumamos ao Perdigão, com passagem por Sarnadas de Rodão e Alvaiade. Seguimos depois pela estradinha panorâmica que liga o Perdigão a Vila Velha de Rodão, usufruindo da bonitas paisagens sobre a Serra das Talhadas e Vilas Ruivas. Depois da pequena tertúlia na Bolaria Rodense e já com os níveis repostos, rumamos à cidade, com passagem pelo Coxerro e Sarnadas. Aqui voltamos a encontrar o Joaquim Cabarrão e o Salvado, que deram uma volta mais pequena e juntos seguimos até à entrada da cidade, onde nos voltamos a separar, pois o restante grupo foi pela variante à Carapalha. Numa manhã já bem primaveril, alinharam para esta bonita volta, além de mim, o Jorge Palma, Tó Pinto, Fernando "Caraíbas", Sr. Silva, António Leandro e o João Salavessa.  Foram 75 kms, repletos de divertidas pedaladas, na companhia deste animado grupo de …