domingo, 19 de agosto de 2012

"Marateca"

Hoje, fui ter com a malta das Docas.
Tive a companhia logo a partir da minha garagem do Pedro Antunes e do Álvaro, que também iam para as Docas.
Quando lá chegámos já lá estavam alguns companheiros.
Cerca das 08h15 partimos para os trilhos, hoje orientados pelo Pedro Antunes, conforme tinha prometido no domingo anterior.
Quando descíamos em direção ao Cruzamento de Caféde, um toque para o telemóvel do Fidalgo, fez juntar ao grupo mais 4 companheiros, o Agnelo Quelhas e mais 3 amigos que se juntaram ao grupo.
Éramos já 11 pedalantes, prontos para uma voltinha, hoje um pouco mais "desacumulada" e orientada para os lados da Marateca, uma das bonitas bacias hidrográficas cá do nosso cantinho.
Descemos ao Lirião e virámos em direção à Tapada das Figueiras.
Ainda alguém "deu um toque" ao Micaelo sobre os pêssegos lá da quinta, ao que ele respondeu . . . por acaso são muito bons, mas já marcharam, acrescentando de seguida que não levava a chave do portão. Azar!!! Ficámos esclarecidos!!!
Entrámos na M.551 que segue para Caféde e junto à barragem, entrámos no estradão para o Bairro do Ocreza, ao fundo do Vale da Pereira, onde cruzámos o rio para o Cabeço da Charneca.
Ladeámos Caféde e seguimos pela Quinta do Camilo, Lameiro de Caria e Quinta da Pacheca até à Póvoa de Rio de Moinhos, onde tomámos ó cafézinho matinal na "Flor do Outeiro".
Cruzámos seguidamente a povoação e saímos pela Fonte da Nora em direção a Ninho do Açor, com passagem pelo Carrapiço.
Chegámos à estrada de acesso ao Ninho, mas não entrámos na povoação, virando para um caminho paralelo, que nos levou até à bonita Barragem da Marateca, após passarmos pelas Terras da Capela e Vale Paviola. 
Entrámos para o leito da barragem junto à Quinta da Anta e brincámos e divertímo-nos pelo areal, contornando a barragem pelos seus inúmeros recortes até à M.1224, também conhecida pelo Caminho dos Moleiros.
Depois daqueles belos momentos de pedalada, rumámos à Lardosa, onde parámos no "Tá-se Bem" para  saciar a sede com algo fresco, desde que não fosse água.
Saímos já em direção a Castelo Branco, passando pela Tapada da Mouca e Quinta da Ordinha, onde virámos para Alcains, entrando na cidade pelas 12h30, com 67 kms pedalados numa bela manhã, bem solarenga, onde o convívio e a camaradagem foram uma constante.

Fiquem bem.
Vêmo-nos nos trilhos, ou fora deles.
AC

1 comentário:

Pinto Infante disse...

umas belas fotos ma Santa Águeda.Este ano o passeio pedestre da Rota do Feijão vai visitar essa zona da Lardosa.
Boas voltas
um abraço
Pinto Infante