domingo, 7 de agosto de 2011

"Trilhos de Fátima"

Outubro está quase à porta e a minha "IV Peregrinação em Btt" a Fátima, também.
Este ano e como no ano anteriores, vou percorrer outros trilhos e ver outras paisagens.
Já tenho a ideia por onde quero passar, tenho alguns trilhos já delineados, mas há ainda muito trabalho para fazer. Como tal, nada melhor que pegar na bike e ir em busca de novos trilhos e novas paisagens.
Foi o que hoje fiz, na companhia do Nuno Eusébio. Fui ter com ele à Pastelaria do Montalvão, tomámos o cafézinho matinal, demos dois dedos de conversa e fomos para os trilhos.
Tinha ideias, tinha percurso "alinhavado" e tudo estava a correr bem até que chegámos à passagem dum vale, onde ainda não consegui encontrar a passagem que pretendo, sem ter que somar mais uns quantos kms.
Acabámos por tansformar a manhã de hoje, "numa de freeride". Descida adrenalínica, subida com "ela" ao lado. E foi um sobe e desce quase constante. Testámos uma série de caminhos, alguns que nos deram um gozo imenso pedalar e que ficaram debaixo de olho para umas voltinhas com os amigos. Mas tem que haver um carreirinho que me leve para a outra banda.
Com tudo isto, acabámos por fazer 58 kms, que apesar de não ser o percurso circular da "praxe", deu-nos um gozo imenso e andámos divertidos toda a manhã.
No regresso, parámos no "Ramalhete", na Represa, para beber uma bjeca fresquinha, regressando seguidamente á cidade, onde entrámos pelas 12h45, com uma boa "barrigada" de btt.
Na próxima semana tenho que concluir esta primeira secção, descobrindo uma passagem, ou arranjar alternativa áquele profundo e bonito vale.

Fiquem bem.

Vêmo-nos nos trilhos

. . .ou fora deles.
AC

2 comentários:

CLI disse...

Olá!! Para quando é a saída desde a Suíça?? Estou impaciente por seguir a sua nova aventura!!

Um abraço

CLI

Silvério disse...

Se disser que este é só mais um dos passos para se continuar a escrever a saga "Trilhos de Fátima", na minha modesta opinião, não estou a cometer nenhum erro. Porquê? Porque estamos a falar já de uma tradição, que junta amigos que comungam da mesma paixão e, à medida de cada participante, com mais ou menos sentido religioso,
Não posso deixar de enaltecer o trabalho do “argumentista” desta saga, pois mantém o seu sentido altruísta e continua a desenvolver todas as acções, como sempre incondicionalmente, para brindar todos os que se associam a este evento, com novos trilhos, novas paisagens, etc., ou seja, novas formas de praticar a politica dos 4P’s, e “escrever” no final, mais uma linda história Bêtêtista.
Espero ser um dos “peregrinos” e dar o meu melhor para o sucesso do evento.
António, força e um grande Abraço.
Silvério