domingo, 11 de março de 2012

"Ponsul Profundo"

Hoje, fui ter com a rapaziada das Docas, para uma voltinha de btt.
Apareceram nove companheiros com o mesmo objetivo:- Eu, o Nuno Eusébio, o José Luís, que veio da Lardosa, o João Valente, o João Afonso, o Carlos Sales, o Nuno Maia, o João Caetano e o Silvério.
Como ninguém se chegou à frente, coube-me a mim, mais uma vez delinear o percurso para hoje.
Uma voltinha pelas profundezas do Ponsul, foi o que de imediato pensei e lá fomos nós.
Grupo animado e bem disposto, aliado a uma bela manhã solarenga para a prática do Btt, foi o mote para umas boas pedaladas.
Saímos em direção à Caseta dos Maxiais e Monte do Rei, passando seguidamente pelo Vale da Dona e Tapada da Serra, antes de entramos em Cebolais de Cima.
Daqui rumámos ao Cabeção, Várzea das Canas e VG do Curral, para descermos depois ao Monte do Pereiral, num estradão algo insípido, com o corte da mata de eucaliptos e com a grande poeirada, aliada à passagem das camionetas na extração da madeira e da falta de chuva que se tem feito sentir e, um pouco atípico nesta altura do ano.
No Pereiral entrámos numa vereda que acompanha uma curva de nível, já um pouco fechada com as estevas que por ali vão crescendo no meio do eucaliptal e que, nos levou ao estradão para o Cabeço do Pico.
Subimos depois aos Lentiscais, onde parámos na Associação do Centro de Dia onde comemos, hidratámos e tomámos a habitual dose de cafeína.
Tomámos depois o rumo ao Vale da Baralha, com passagem pelo Monte da Assentada e descemos à Ponte Nova do Rio Ponsul pelo Monte do Picado.
Esperava-nos para a parte final, um belo par de subidas que nos fizeram merecer a tertúlia final na Pastelaria da Ministra, já na Carapalha.
Subimos ao Monte Clérigo e descemos ao Monte do Vedulho, para terminarmos com a subida à Lomba da Velha, a mais longa.
E porque o que chega, já está bem, aliado ao desgaste que este pequeno e exigente percurso já dava alguns indícios na rapaziada, optei por poupar alguns do kms finais, também eles com uma última subidita, que verdade seja dita, já não fazia falta nenhuma, permutando esse tempo a pedalar com uns minutos de convívio com a rapaziada.
Acabámos por rumar à Sapateira, terminando na pastelaria da Ministra numa alegre cavaqueira, após 50 kms de pedaladas e onde a rapaziada se despediu, até uma próxima oportunidade.
Fiquem bem.
Vêmo-nos nos trilhos,
ou fora deles.
AC

Sem comentários: