Avançar para o conteúdo principal

"Serra da Murracha"

Ontem, fui de novo para a "vadiagem"!!!
Levantei-me e fui por o nariz de fora para ver se chovia. Algumas nuvenzitas espalhadas, mas não me pareceram ameaçadoras.
Bora lá então. vamos para o campo!!!
Peguei no "tanganho", meti-o na caixa da "ramona" e fui até à zona industrial de Idanha-a-Nova, onde estacionei.
Entrei no Restaurante "O Moinho" e logo ali, satisfiz as minhas necessidades cafeínicas, com a malguinha da praxe.
Preparei a bike e restante material e aí vai ele pedalar para o campo.
Tomei a direção do arraial do Monte do Sanga e desci à foz da Barroca da Canada, com uma espetacular visão sobre a Barragem Marechal Carmona.
Aí, entrei numa espetacular sequência de trilhos e single tracks, sempre com uma ampla visão sobre o vale e pelo Rio Torto até Proença a Velha, onde não entrei, continuando em direção a Medelim, também com um bom punhado de single tracks e novamente com a companhia do Rio Torto e lá mais á frente, a Ribeira da Aldeia de João Pires.
Entrei em Medelim e de novo os single tracks encheram as minhas pedaladas de adrenalina, agora em direção à Serra dos Alegrios.
Passei as faldas da serra pelos Carvalhais e ladeando Monsanto, lá fui com rumo a Penha Garcia, onde aquela espetacular visão da aldeia cravada na montanha, deixa marca, para quem gosta destas andanças da natureza.
Parei em Penha Parcia para comer algo mais sólido e pelo PR7 pedalei por ali nuns bonitos trilhos, cruzando seguidamente a estrada já em direção à Serra da Murracha, que lá ao longe, mostrava um ar algo ameaçador, para quem ía com intenção de pedalar pela sua cumeada.
Até lá, os trilhos foram essencialmente rolantes, o que facilitou um pouco a aproximação à serra.
Mas quando comecei a subir, vi logo que ali ía dar cabo do "canastro". Uma boa inclinação e piso com pedra roliça, não eram uma boa visão.
E de fato, cá o rapazinho teve mesmo que desistir. Não fui capaz de chegar ao topo "a cavalo no tanganho" e deixei essa tarefa para as sapatilhas. E até essas tiveram alguns escorreganços até chegar lá acima.
Parei lá no alto, comi algo e apreciei a bonita paisagem para ambos os lados da serra.
Num sobe e desce suave lá passei a cumeada e depois, foram aquelas duas descidas que compensaram o pequeno passeio pedestre.
Embrenhei-me seguidamente pela mata de eucaliptos e pinhal até chegar a Alcafozes, onde efetuei nova paragem para me alimentar.
A Serra da Murracha já estava no papo. De Alcafozes até à Barragem Marechal Carmona pedalei pelos trilhos já sobejamente conhecidos e depois de cruzar o paredão, segui um trilho que ladeia aquela secção da barragem até à barroca que dá acesso ao Monte da Vigia.
Já estava às portas de Idanha e o empeno já estava a querer entranhar-se no corpinho, com as pernitas já em desacordo com o cérebro, mas, ainda deu para chegar até à "ramona".
Contas feitas, foram 93 kms por belos trilhos e fantásticos single tracks, com as paisagens a contrariarem a monotonia, com sua constante e contrastante beleza.
Amanhã vou com a malta até às Encostas do Douro, numa iniciativa do Agnelo e para a semana, se o tempo o permitir e as pernitas recuperarem, vou dar uma escapadinha, com uma passagem fugaz na Serra da Estrela, cá bem para baixo.
Fiquem bem.
Vêmo-nos nos trilhos
. . . ou fora deles.
AC
.o0o.
Clip de filme.

Comentários

Boas meu caro!

Mais um excelente relato...que bem que sabe ler as sempre deliciosas aventuras que partilha com a malta! As fotos compravam que fez um excelente passeio por uma das muitas bela zonas que temos por cá para prática deste nosso bichinho...

um abraço, boas pedaladas!
Ass. Ricardo Almeida

Mensagens populares deste blogue

"Passeio de Mota pela Galiza"

Mesmo com a meteorologia a contrariar aquilo que poderia ser uma bela viagem à sempre verdejante Galiza, 9 amigos com o gosto lúdico de andar de mota não se demoveram e avançaram para esta bonita aventura por terras "galegas"
Com o ponto de inicio no "escritório" do João Nuno para a dose cafeínica da manhã marcada para as 6 horas da manhã, a malta lá foi chegando.
Depois dos cumprimentos da praxe e do cafezinho tomado foi hora de partir rumo a Vila Nova de Cerveira, o final deste primeiro dia de aventura.
O dia prometia aguentar-se sem chuva e a Guarda foi a primeira cidade que nos viu passar. Sempre em andamento moderado, a nossa pequena caravana lá ia devorando kms por bonitas estradas, algumas com bonitas panorâmicas.
Cruzamos imensas aldeias, vilas e cidades, destacando Trancoso, Moimenta da Beira, Armamar, Peso da Régua, Santa Marta de Penaguião, Parada de Cunhos, Mondim Basto e cabeceiras de Basto, onde paramos para almoçar uma bela "posta", que es…

"Passeio de mota pelo Geopark Las Villuercas e Guadalupe"

"Feliz do homem que possui uma moto, ele pode viajar, ver paisagens e entender-se a si próprio." (Eric Viking) Hoje foi dia de dar liberdade à mota. Na companhia dum casal amigo, o José Paulo e a Carla, fomos passear de mota pelas Dehezas Extremeñas, Geopark de las Villuercas e uma pequena visita a Guadalupe, um dos mais bonitos "pueblos" de Espanha. marcamos encontro na Pastelaria "A Ministra", numa das rotundas do Bairro da Carapalha e pouco depois das 08h30, já com a matinal dose de cafeína ingerida, fizemo-nos à estrada. Rumamos a Segura, onde entramos na "tierra de nuestros hermanos" seguindo depois até á Ponte Romana de Alcântara, onde efetuamos uma pequena paragem para apreciar aquela fantástica obra de engenharia romana que maravilhou o mundo antigo. Com uma história que se perde no tempo, esta ponte carrega peripécias e curiosidades. Não entramos na povoação e por uma estradinha "vecinal" seguimos para Mata de Alcântara e Gar…

"Volta vadia a ver o mar"

"A felicidade é um fim de tarde olhando o mar" (Marina Nader)
 . . .e foi esse o objetivo deste meu passeio de bicicleta, que gosto de chamar de "volta vadia". Ir ver o mar na Figueira da Foz.
Delineei o percurso, circular como sempre, juntei um grupo de amigos, também eles fãs deste tipo de passeios velocipédicos e fizémo-nos à estrada.
Saímos de Castelo Branco pelas 06h00 e fomos tomar o primeiro cafezinho da manhã à Pastelaria "Estrela Doce", na Sertã, onde o meu irmão Luís nos esperava.
Depois da dose cafeínica e do pastelinho de nata, seguimos para Condeixa a Nova, o local de partida e chegada desta nossa pequena aventura, estacionando as viaturas no parque auto do Lidl.
Cerca das 08h30, já pedalávamos em direção a Ega, a primeira povoação que passaríamos rumo à Figueira da Foz.
O dia estava ótimo para pedalar e o pouco vento que se fazia sentir era nosso aliado.
Sempre em ritmo animado e em alegre cavaqueira, como é habito, quando algumas "per…