Avançar para o conteúdo principal

"GR do Vale do Coa - 1º. Dia - Nascente do Rio Coa - Miuzela"

A descoberta do Rio Coa desde a nascente à sua foz, do território e do património, através de um trilho de cerca de 200 kms. Atravessar montes e vales, por terras que nos contam 30 mil anos de ocupação humana e de arte. Nesta paisagem agreste, a natureza é ora moldada pelo homem, nas vinhas e pomares, ora indomada, nas escarpas graníticas da Faia Brava.
Este era um desafio que aguardava com alguma ansiedade. Já tinha feito um par de convites para fazer esta rota, mas a malta com este espírito liberdade e aventura vai escasseando e dos que conheço e que me poderiam acompanhar estavam nesta altura limitados por outros compromissos.

E quando me refiro a convites para efetuar esta rota ou outras, refiro-me obviamente a companheiros de aventura e não a adversários para marcar diferenças e somar protagonismos. Não pretendo melindrar ninguém, mas essa não é a minha onda!

Com promoção da Associação de Desenvolvimento Territórios do Côa, a grande rota compreendia 3 dias de btt, acompanhando o Rio Coa desde a sua nascente na Serra das Mesas (Foios/Sabugal) até à sua foz (Museu do Coa/Vila Nova de Foz Coa), atravessando os concelhos do Sabugal, Almeida, Pinhel, Figueira de Castelo Rodrigo e Vila Nova de Foz Côa. 
Na sexta feira, dia 30, fui dormir a Almeida Casa da Juventude, o local de partida e chegada durante os três dias de rota.

No dia 1, depois de tomar o pequeno almoço servido pela entidade organizadora, carregamos as bikes numa carrinha disponibilizada para o efeito e seguimos de autocarro para o local de partida da primeira etapa, na nascente do Rio Coa.
Eramos neste primeiro dia 32 participantes, vindos de vários pontos do pais.
Subimos à nascente, já montados nas nossas bikes e depois das fotos da praxe, demos início ao percurso, que nos iria levar até Miuzela do Coa uma bonita aldeia situada num contraforte da Serra das Mesas ao centro de um promontório delimitado pela Ribeira de Noemi e do Rio Côa.
Depois de uma descida algo técnica sempre com uma visão espetacular sobre a aldeia de Foios, cruzamos a aldeia e embrenhamo-nos em bonitos trilhos vestidos de cores primaveris que iam acompanhando, nalguns tramos, o leito do rio Côa, que ia tomando corpo ao longo dos kms.
Passamos junto à entrada do Vale de Espinho e rumamos à Malcata, onde tivemos o primeiro abastecimento, após 22 kms percorridos.
Depois de pssar a ponte sobre o braço da Barragem do Sabugal, contornamos durante alguns kms aquela bonita bacia hidrográfica e entramos no Sabugal, ladeando o Côa, que aqui se apresenta vesido de bonitos verdes e belos recantos.
Subimos ao castelo para um olhar breve sobre aquela bela construção, também conhecido como o castelo das cinco quinas, onde registamos o momento com um par de cliks com as nossas digitais.
deixamos o Sabugal e tomamos o rumos à Quinta das Vinhas, onde nos esperava o segundo abastecimento do dia, na Quinta das Vinhas, ao km 45.
Depois de retemperar forças passamos junto a Roque Amador e Rapoula do Côa para entrarmos mais tarde no Seixo do Côa, mais uma castiça aldeia cruzada  por esta bonita rota.
Acompanhando o rio Côa por belos trilhos e impressionantes paisagens, chegamos à belíssima ponte medieval de estilo romano, que cruza o rio na zona do vale longo.
Estavamos já perto do final da etapa, que concluímos alguns kms depois, no parque de merendas da Miuzela, onde nos esperava um lauto lanche, bem repleto com uma bela grelhada e bebida à descrição.
Depois de carregadas de novo as bicicletas na carrinha para serem guardadas num espaço fechado pertencente á junta de freguesia da Miuzela,  entramos no autocarro que nos levou de novo à casa de Juventude de Almeida, onde estavamos alojados.
Depois do banhinho, fui jantar com malta amiga ao restaurante "O Granito, junto à Porta de S. Francisco, onde retemperamos forças com um belo Naco de Vitela.
Foi um belo dia de pedaladas por trilhos fabulosos ornamentados de paisagens únicas, acompanhando o rio Coa na sua viagem até à foz, desfrutando esta aventura na companhia de alguns amigos e companheiros, também eles imbuídos que enriqueceram este fantástico dia, que culminou com 67 kms de bom btt e muita aventura.
Fiquem bem.
Vêmo-nos nos trilhos, ou fora deles.
AC

Comentários

Mensagens populares deste blogue

"Rota do Bucho/2016"

Pelo segundo ano consecutivo, resolvi editar a Rota do Bucho, com um passeio pelos trilhos de Malpica do Tejo, uma bonita aldeia onde tenho raízes, que termina à mesa com um belo bucho de ossos à boa moda malpiqueira. Convidei um "magote" de amigos, dos quais dezasseis disseram presente. O ponto de reunião, foi desta vez na Pastelaria Cantinho dos Sabores, na Rotunda da Racha, onde tomamos o cafézinho matinal. Pelas 08h20 partimos em pelotão auto rumo a Malpica do Tejo, onde o Rui e a Sandra Tapadas já nos aguardavam. A previsão era de vento forte e alguns aguaceiros e desta vez o S. Pedro não nos "despontou", mandou mesmo umas belas rajadas de vento e umas belas bátegas de água, que nos atingiram por três vezes, um pouco no início desta pequena aventura, sensivelmente a meio, quando estávamos à vista de um local de abrigo, a aldeia de Lentiscais e no final, em jeito de banho. Pelas 09h00, como planeado, abandonávamos a aldeia rumo ao Monte do Couto do Alberto, en…

"Hoje fomos à romaria"

A manhã acordou hoje límpida e solarenga, num bom incentivo para um bom par de pedaladas asfálticas. Quando saí da garagem já o Álvaro e o Leandro me esperavam. Juntos fomos até à Rotunda das Violetas, ao encontro do Luís Lourenço e do Nuno Eusébio. Pouco depois chegou o Jorge Palma. Para não perder a prática tive ainda que mudar a câmara de ar da minha roda traseira que vinha com um pequeno furo, originado por uma limalha. Já com a "ézinha" pronta a rodar, fizemo-nos à estrada, abandonando a cidade pela Milhã, rumo ao Juncal do Campo pela estradinha panorâmica da Quinta de Valverde. Cruzamos a aldeia e entroncamos na N.12, onde fletimos à direita, rumo ao Padrão, uma pequena aldeia que este fim de semana se encontra engalanada para a festa da Nossa Senhora da Saúde. Entramos na aldeia e fomos tomar o cafezinho matinal no bar junto ao adro da igreja, gentilmente servido por um senhor, creio que festeiro, que fez questão de oferecer os cafezinhos e que agradecemos. Descemos …

Alvaiade, Perdigão e Vila Velha de Rodão"

Hoje, com um pelotão mais numeroso, fomos tomar o cafézinho matinal à Bolaria Rodense, em Vila Velha de Rodão. Abandonamos a cidade pouco depois das 08h30 e rumamos ao Perdigão, com passagem por Sarnadas de Rodão e Alvaiade. Seguimos depois pela estradinha panorâmica que liga o Perdigão a Vila Velha de Rodão, usufruindo da bonitas paisagens sobre a Serra das Talhadas e Vilas Ruivas. Depois da pequena tertúlia na Bolaria Rodense e já com os níveis repostos, rumamos à cidade, com passagem pelo Coxerro e Sarnadas. Aqui voltamos a encontrar o Joaquim Cabarrão e o Salvado, que deram uma volta mais pequena e juntos seguimos até à entrada da cidade, onde nos voltamos a separar, pois o restante grupo foi pela variante à Carapalha. Numa manhã já bem primaveril, alinharam para esta bonita volta, além de mim, o Jorge Palma, Tó Pinto, Fernando "Caraíbas", Sr. Silva, António Leandro e o João Salavessa.  Foram 75 kms, repletos de divertidas pedaladas, na companhia deste animado grupo de …