Avançar para o conteúdo principal

"Um passeio colorido"

Hoje fomos até ao Festival das Flores, um evento organizado pela junta de Freguesia da Aldeia de Santa Margarida.
Na companhia do Alvaro Lourenço e do Nuno Eusébio, abandonamos a cidade pouco depois das 08h00 em direção àquela bonita aldeia beirã.
Pouco depois do parque de campismo passou por nós a malta do "TGV dos Ratinhos" em direção às alturas.
"Ratinhos". Citando Milheiras Cortiço.
Hoje, lembrei-me de ir a encontro dos ratinhos, trabalhadores rurais, vindos das Beiras, que demandavam a minha região na época das "assêfas"
Por vezes surgiam alguns cachopos mais atrevidos que, com o intuito de os ridicularizar, diziam:
Ratinhos da Bêra
Cómim o pão e deixam a farrenhêra
e
Ó ratinhos, rátim o pão
Rátim o quêjo e o focinho do mê cão

Eles, serenos não lhes ligavam ou, a rir, respondiam-lhes

Olhem que não
Comemos a farrenhêra e dêxamos o pão
e
Somos ratinhos, ratamos o pão e o quêjo, 
E às meninas pedimos um bêjo.
Nós continuamos na nossa lenga-lenga e chegados à rotunda da Lardosa, cruzamos a povoação em direção à Orca com passagem pelo Vale da Torre.

Tomámos depois o azimute às Martianas e pouco depois de passar por aquela aldeia estávamos a entrar na hoje engalanada Aldeia de Santa Margarida.
Esta organização é uma iniciativa da junta de freguesia que tem como principal objetivo enfeitar as ruas aproveitando as flores naturais existentes, assim como todo o tipo de flores artificiais e verduras. A conceção das flores, bem como a ornamentação das ruas e fachadas das habitações fica a cargo da população da freguesia.
Além de milhares de flores, naturais e artificiais, espalhadas pelas ruas e casas da aldeia, este evento conta ainda com a presença de dezenas de expositores de produtos regionais, tasquinhas e muita animação.
O festival das flores realiza-se de dois em dois anos.
Depois de visitarmos as principais ruas da aldeia e apreciarmos a sua bonita ornamentação, paramos no largo principal da aldeia e tomamos o cafézinho matinal no café ali existente.
Depois de mais uma breve passagem por algumas ruelas, seguimos para S. Miguel d'Acha.
Descemos a S. Gens e subimos aos Escalos de Cima, onde nos deu na gana de dar umas pedaladas mais aceleradas até à reta do Lanço Grande, passando pelos Escalos de Baixo.
Até Castelo Branco foi a arejar o fatinho e praparar o corpinho para mamar um par de bjecas na esplanada do Lusitano.
A conselho dos nossos "personal trainers" não é conveniente beber bjecas com o corpinho suado . . . e nós obedecemos. Tamos a ficar TOP e a subir de forma. Até Dezembro temos muito tempo!!!
Mesmo assim, ainda conseguimos "fazer" 81 kms sem chatear nada e a carneira dos calções aguentou bem  o bamboleio das abêberas no couro do selim.
Amanhã vamos "esgarrar" montanhas, ver umas paisagenzitas e visitar umas aldeolas que ficam lá no sítio.
Fiquem bem.
Vêmo-nos nos trilhos, ou fora deles.
AC

Comentários

Mensagens populares deste blogue

"Rota do Bucho/2016"

Pelo segundo ano consecutivo, resolvi editar a Rota do Bucho, com um passeio pelos trilhos de Malpica do Tejo, uma bonita aldeia onde tenho raízes, que termina à mesa com um belo bucho de ossos à boa moda malpiqueira. Convidei um "magote" de amigos, dos quais dezasseis disseram presente. O ponto de reunião, foi desta vez na Pastelaria Cantinho dos Sabores, na Rotunda da Racha, onde tomamos o cafézinho matinal. Pelas 08h20 partimos em pelotão auto rumo a Malpica do Tejo, onde o Rui e a Sandra Tapadas já nos aguardavam. A previsão era de vento forte e alguns aguaceiros e desta vez o S. Pedro não nos "despontou", mandou mesmo umas belas rajadas de vento e umas belas bátegas de água, que nos atingiram por três vezes, um pouco no início desta pequena aventura, sensivelmente a meio, quando estávamos à vista de um local de abrigo, a aldeia de Lentiscais e no final, em jeito de banho. Pelas 09h00, como planeado, abandonávamos a aldeia rumo ao Monte do Couto do Alberto, en…

"Hoje fomos à romaria"

A manhã acordou hoje límpida e solarenga, num bom incentivo para um bom par de pedaladas asfálticas. Quando saí da garagem já o Álvaro e o Leandro me esperavam. Juntos fomos até à Rotunda das Violetas, ao encontro do Luís Lourenço e do Nuno Eusébio. Pouco depois chegou o Jorge Palma. Para não perder a prática tive ainda que mudar a câmara de ar da minha roda traseira que vinha com um pequeno furo, originado por uma limalha. Já com a "ézinha" pronta a rodar, fizemo-nos à estrada, abandonando a cidade pela Milhã, rumo ao Juncal do Campo pela estradinha panorâmica da Quinta de Valverde. Cruzamos a aldeia e entroncamos na N.12, onde fletimos à direita, rumo ao Padrão, uma pequena aldeia que este fim de semana se encontra engalanada para a festa da Nossa Senhora da Saúde. Entramos na aldeia e fomos tomar o cafezinho matinal no bar junto ao adro da igreja, gentilmente servido por um senhor, creio que festeiro, que fez questão de oferecer os cafezinhos e que agradecemos. Descemos …

Alvaiade, Perdigão e Vila Velha de Rodão"

Hoje, com um pelotão mais numeroso, fomos tomar o cafézinho matinal à Bolaria Rodense, em Vila Velha de Rodão. Abandonamos a cidade pouco depois das 08h30 e rumamos ao Perdigão, com passagem por Sarnadas de Rodão e Alvaiade. Seguimos depois pela estradinha panorâmica que liga o Perdigão a Vila Velha de Rodão, usufruindo da bonitas paisagens sobre a Serra das Talhadas e Vilas Ruivas. Depois da pequena tertúlia na Bolaria Rodense e já com os níveis repostos, rumamos à cidade, com passagem pelo Coxerro e Sarnadas. Aqui voltamos a encontrar o Joaquim Cabarrão e o Salvado, que deram uma volta mais pequena e juntos seguimos até à entrada da cidade, onde nos voltamos a separar, pois o restante grupo foi pela variante à Carapalha. Numa manhã já bem primaveril, alinharam para esta bonita volta, além de mim, o Jorge Palma, Tó Pinto, Fernando "Caraíbas", Sr. Silva, António Leandro e o João Salavessa.  Foram 75 kms, repletos de divertidas pedaladas, na companhia deste animado grupo de …