Avançar para o conteúdo principal

GR Vale do Coa - Dia 2 - De Miuzela à Quinta Nova"

O primeiro dia da GR tinha sido um sucesso. Lindas paisagens e trilhos bem catitas tinham cativado a malta.
O cuidado na preparação da rota, os abastecimentos e o alojamento foram uma mais valia desta travessia e, no meu caso, a ansiedade para este segundo dia estava em alta.
Pela manhã, lá tomei o pequeno almoço na casa da Juventude de Almeida, onde fiquei alojado e pouco depois das 08h00, já com a malta toda reunida, seguimos de autocarro para a Miuzela, para dar início ao segundo dia de aventura.
Fomos buscar as bicicletas que tinham ficado guardadas num pavilhão da junta de freguesia e depois dos preparativos habituais, fizemo-nos aos trilhos.
Descemos por asfalto até à ponte sobre o Rio Coa e depois de duas centenas de metros em subida, viramos à esquerda à entrada da povoação de Badamalos e descemos para a margem do rio que acompanhamos durante alguns kms desfrutando de maravilhosas paisagens e trilhos espetaculares, onde não faltou a travessia de algumas peculiares pontes pedonais.
Cruzamos o rio para a outra margem por uma dessas bonitas passagens e chegamos a Porto de Ovelha, que cruzamos, seguindo para a aldeia do Jardo, onde efetuamos o primeiro abastecimento, junto ao rio, com uma soberba vista sobre a ponte se S. Roque.
Sempre pedalando, ora em bonitos e alguns algo técnicos carreirinhos, ora em panorâmicos trilhos, chegamos a Almeida, onde tinhamos montado o "quartel general", mas não era ainda para ficar.
Paramos sim, mas para o segundo abastecimento do dia, numa das portas de entrada da vila.
Depois das calorias repostas, continuamos em direção à Quinta Nova, o final da etapa de hoje, abandonando Almeida pelo Arrabalde de Santo António.
Por trilhos espetaculares e magnânimas paisagens seguimos em direção a Cinco Vilas, descendo depois para junto do rio onde se pudemos observar as ruinas de uma bela ponte romana, destruída em 1909 por uma cheia, conservanso ainda 3 dos 5 arcos primitivos.
A chegada à Quinta Nova um belo osso de roer feio por uma bela subida em calçada, que presumo seja o caminho conhecido como "Estrada de França", restos de uma antiga calçada romana que fazia parte da via imperial que ligava a cidade da Guarda a Astorga.
Conquistado aquele belo carocinho, segui-se um par de kms em estradão rolante até ao final da etapa, que culminou no belo empreendimento "Encostas do Coa", onde fomos brindados com um belo lanche de final de etapa.
Depois de guardar as bicicletas nas instalações daquele espaço rural, regressamos a Almeida no autocarro que nos acompanhou ao longo destes três maravilhosos dias de aventura.
Depois do banhinho tomado, fomos jantar a nosso restaurante adotado, o "Granito".
Seguiu-se uma visita noturna à vila entre muralhas e uma ginjinhas num dos seus peculiares bares para manter o corpo quentinho, pois o calor não abundava por aquelas bandas.
68 kms de excelentes pedaladas, paisagens únicas e boa e sã camaradagem, tornaram este dia num belo dia para mais tarde recordar.
Fiquem bem.
Vêmo-nos nos trilhos, ou fora deles.
AC

Comentários

Mensagens populares deste blogue

"Passeio de moto pelo Alto Douro Vinhateiro"

"O que é bonito neste mundo, e anima, é ver que na vindima de cada sonho fica a cepa a sonhar outra aventura."
(Miguel Torga)
Com a  excelente companhia dos amigos Luís Miguel, João de Deus e Marta Farias, fomos "desbravar" algumas das encantadoras estradinhas panorâmicas do Alto Douro Vinhateiro.
A saída foi programada para as 07h00 e, já na companhia do Luís Miguel, fomos até Penamacor, onde o João e a Marta já nos aguardavam junto às bombas de combustíveis locais.
Já agrupados rumamos ao norte cruzando Meimoa, Vale da Srª da Povoa, Terreiro das Bruxas, Santo Estevão e Sabugal.
A partir desta vila e com a bonita visão do seu famoso castelo das cinco quinas, entramos em terras de Ribacoa, onde o frescura matinal nos atormentou um pouco e nos fez reconhecer que o verão já lá vai e as temperaturas vão já sofrendo metamorfoses, sobretudo em algumas zonas e, esta é uma delas.
Logo após abandonarmos o Sabugal, viramos à direita para as Quintas de S. Bartolomeu e por Rap…

"Passeio de mota pelo Geopark Las Villuercas e Guadalupe"

"Feliz do homem que possui uma moto, ele pode viajar, ver paisagens e entender-se a si próprio." (Eric Viking) Hoje foi dia de dar liberdade à mota. Na companhia dum casal amigo, o José Paulo e a Carla, fomos passear de mota pelas Dehezas Extremeñas, Geopark de las Villuercas e uma pequena visita a Guadalupe, um dos mais bonitos "pueblos" de Espanha. marcamos encontro na Pastelaria "A Ministra", numa das rotundas do Bairro da Carapalha e pouco depois das 08h30, já com a matinal dose de cafeína ingerida, fizemo-nos à estrada. Rumamos a Segura, onde entramos na "tierra de nuestros hermanos" seguindo depois até á Ponte Romana de Alcântara, onde efetuamos uma pequena paragem para apreciar aquela fantástica obra de engenharia romana que maravilhou o mundo antigo. Com uma história que se perde no tempo, esta ponte carrega peripécias e curiosidades. Não entramos na povoação e por uma estradinha "vecinal" seguimos para Mata de Alcântara e Gar…

"Mototurismo por "tierras de nuestros hermanos""

"A imaginação é a primeira fonte da felicidade humana"
(Giacomo Leopardi)
Hoje fui fazer um passeio de mototurismo com a agradável companhia do João e da Marta, que vieram do Fundão aos comandos duma bonita e bem cativante Benelli  TRK502.
O ponto de encontro foi nas bombas da Repsol do Lanço Grande, onde atestamos as máquinas e ingerimos a primeira dose matinal de cafeína.
Cerca das 07h30 fizemo-nos à estrada, por Ladoeiro e Zebreira, entrando em Espanha pela pequena fonteira que cruza o Rio Erges junto a Salvaterra do Extremo.
Depois duma pequena paragem para tirar uma foto ao Castillo de Peñafiel, que se ergue altaneiro no cimo de um monte formado por negra e musgosa penedia de abruptos rochedos inacessíveis.
Entramos em Espanha e, à entrada de Zarza la Mayor, viramos à esquerda ao encontro da Ex-A1, em Moraleja, que seguimos até à cidade de Plasencia.
Pelo panorâmico Vale de Jerte fomos até Valdastillas e subimos ao Piornal, pela Sierra de Tormantos, com uma paragem na C…