quarta-feira, 27 de maio de 2015

"Vilar Barroco

Pelas 07h00 já pedalava na N.112 em direção ao alto da Foz do Giraldo.
Tinha como destino ir tomar o cafezinho matinal ao Orvalho, com regresso pelo Vilar Barroco .
A manhã estava fresquinha mas amena e pedalar cedo é para mim um prazer, não só pelo trânsito ser mais escasso, como pelos tons menos brilhantes na paisagem que me rodeia.
Passei pelo Salgueiro e Lameirinha antes de atingir a Foz do Giraldo já com 35 kms pedalados, a maioria dos quais em suave pendente.
Desci às Casas da Zebreira e continuei até ao Orvalho, onde parei para a matinal dose de cafeína que bebi calmamente na pequena esplanada do café.
Cruzei depois aquela vila pelas suas ruelas empedradas, em direção ao cemitério, onde começa a estradinha que vai entroncar na N.238.
Subi até ao início do passadiço para o alto da Cascata da Fraga da Água d'Alta e parei na fonte ali existente para atestar o bidon.
Passei depois por Vilarinho antes de chegar a Vilar Barroco, uma bonita aldeia situada no sopé da Serra do Muradal.
Presume-se que o seu nome terá vindo da "povoação do barroco", por ali nascer a Ribeira da Malhadancha que corre num estreito e profundo vale, com recantos de imensa beleza, alguns dos quais já tive o prazer de visitar.
Cruzei ainda a aldeia da Póvoa da Ribeira, onde se inicía uma "bela" subida ao entroncamento da N.230, onde fleti à esquerda para a Foz do Giraldo.
Parei na fonte e sentadinho no muro do fontanário, ali comi umas bolachinhas e voltei a atestar o bidon. A partir dali regressei à cidade pelo mesmo trajeto, agora em sentido inverso.
Pelas 11h30 já estava de novo em casa após 102 kms pedalados por belas e panorâmicas estradas e visitado algumas das bonitas aldeias cá do nosso condado.
Fiquem bem.
Vêmo-nos nos trilhos, ou fora deles.
AC

1 comentário:

Luantes Luis Antunes disse...

Gostei muito de ver esses montes e essa verdura nos montes que circundam a minha aldeia.
belas fotos e um belissimo passeio BTT concerteza.
Boa continuação