Avançar para o conteúdo principal

"Rosmaninhal, Cegonhas e Monforte da Beira"

Hoje tive como companheiro de pedal o António Leandro.
Já pedalávamos em direção aos Escalos de Baixo, quando tocou o telemóvel. Era o Paulo Jales que se tinha atrasado ligeiramente e vinha ao nosso encontro.
Com ele vinha o Nuno Morgado e quando nos encontramos, defronte do Instituto de Meteorologia à saida da cidade, o Leandro furou.
Depois dos cumprimentos da praxe, o Leandro trocou a câmara de ar e seguimos o nosso percurso.
O Jales e o Nuno disseram que iam dar à perna e iam fazer uma volta mais curta.
É curioso, que nós sem darmos à perna, também não íamos a lado nenhum, por isso, resolvemos continuar com a volta que inicialmente tínhamos programado.
Fomos juntos até aos Escalos de Cima, com passagem pelos Escalos de Baixo.
Eles seguiram em direção à Lardosa e nós para S. Gens, onde fletimos à direita rumo a Idanha a Nova, passando por Olêdo.
Descemos à Sra da Graça e paramos no café local, para a matinal dose de cafeína e dois dedos de conversa.
Já con os níveis repostos, subimos ao cruzamento para a Sra do Almurtão e fomos até à Rotunda do Aravil, cruzando depois a ponte sobre o rio, para mais à frente virarmos à direita para o Rosmaninhal.
Sempre com um vento incomodativo, lá chegamos à aldeia, parando no no café habitual para nos refrescarmos com uma bebida fresca.
A partir daqui o vento acalmou um pouco, logo na altura em que segundo as nossas previsões, nos iria dar uma ajuda, soprando pelas costas.
Mas não foi mau de todo, pelo menos deixou de ser um impecilho!
Pedalamos seguidamente pela panorâmica estradinha que liga o Rosmaninhal às Cegonhas com passagem pelo Coto dos Correias, uma pequena povoação que se está a transformar num bonito espaço rural.
Cruzamos as Cegonhas e descemos ao Rio Aravil, subindo depois à cumeada e cruzando terras de montado, chegamos a Monforte da Beira.
Desta vez não fizemos a habitual visita ao "Joaquim Padeiro" e já debaixo duma bela "calinada", descemos ao Rio Ponsul para enfrentarmos o último par de subidas do dia, os Enfestos e a Sapateira (Col du Gitan), antes de entrarmos na cidade, com 114 kms, hoje pedalados a ritmo mais animado.
A "Ministra" foi hoje a nossa esplanada escolhida para a "abaladiça", onde estivemos entretidos bebericando um par de mini jolas e dando dois dedos de conversa.
Terça feira é dia de volta vadia, ali para os lados da serra, com umas históricas a embelezar a coisa e um final que se prevê na "petinga!"
Fiquem bem.
Vêmo-nos nos trilhos, ou fora deles.
AC

Comentários

Mensagens populares deste blogue

"Passeio de mota pelo Geopark Las Villuercas e Guadalupe"

"Feliz do homem que possui uma moto, ele pode viajar, ver paisagens e entender-se a si próprio." (Eric Viking) Hoje foi dia de dar liberdade à mota. Na companhia dum casal amigo, o José Paulo e a Carla, fomos passear de mota pelas Dehezas Extremeñas, Geopark de las Villuercas e uma pequena visita a Guadalupe, um dos mais bonitos "pueblos" de Espanha. marcamos encontro na Pastelaria "A Ministra", numa das rotundas do Bairro da Carapalha e pouco depois das 08h30, já com a matinal dose de cafeína ingerida, fizemo-nos à estrada. Rumamos a Segura, onde entramos na "tierra de nuestros hermanos" seguindo depois até á Ponte Romana de Alcântara, onde efetuamos uma pequena paragem para apreciar aquela fantástica obra de engenharia romana que maravilhou o mundo antigo. Com uma história que se perde no tempo, esta ponte carrega peripécias e curiosidades. Não entramos na povoação e por uma estradinha "vecinal" seguimos para Mata de Alcântara e Gar…

"Passeio de Mota pela Galiza"

Mesmo com a meteorologia a contrariar aquilo que poderia ser uma bela viagem à sempre verdejante Galiza, 9 amigos com o gosto lúdico de andar de mota não se demoveram e avançaram para esta bonita aventura por terras "galegas"
Com o ponto de inicio no "escritório" do João Nuno para a dose cafeínica da manhã marcada para as 6 horas da manhã, a malta lá foi chegando.
Depois dos cumprimentos da praxe e do cafezinho tomado foi hora de partir rumo a Vila Nova de Cerveira, o final deste primeiro dia de aventura.
O dia prometia aguentar-se sem chuva e a Guarda foi a primeira cidade que nos viu passar. Sempre em andamento moderado, a nossa pequena caravana lá ia devorando kms por bonitas estradas, algumas com bonitas panorâmicas.
Cruzamos imensas aldeias, vilas e cidades, destacando Trancoso, Moimenta da Beira, Armamar, Peso da Régua, Santa Marta de Penaguião, Parada de Cunhos, Mondim Basto e cabeceiras de Basto, onde paramos para almoçar uma bela "posta", que es…

"Passeio de mota pela Beira Alta e Beira Litoral.

"Aqueles que não fazem nada estão sempre dispostos a criticar os que fazem algo" (Oscar Wilde)
Na companhia dos amigos Francisco Mendes e Dª. Zarita, José Paulo e Carla Paulo e Nuno Silva, fomos dar um belo passeio de mota pela Beira Alta e Beira Litoral. Com o ponto de encontro no parque de estacionamento do Hipermercado Continente, lá nos juntamos pelas 06h00 para mais uma aventura mototuristica. Partimos em direção a Valhelhas, onde viramos á direita e serpenteando o bonito Vale da Estrela, fomos até à barragem do Caldeirão, onde paramos para apreciar aquela imponente bacia hidrográfica.
Fomos depois entrar na velhinha N.16 por onde rolamos até Aveiro. É uma estrada pouco movimentada mas com um razoável interesse turístico, onde destaco a passagem que contorna a Serra do Alvendre pelo Vale do Rio Mondego e a passagem entre Paçô e Sernada do Vouga, ladeando o bonito Rio Vouga. Passamos por muitas aldeias, vilas e algumas cidades, onde destaco Celorico da Beira, Mangualde, …