terça-feira, 21 de outubro de 2014

"A nata de Vila Velha de Rodão"

Hoje fui em busca da "nata" de Vila Velha de Rodão . . . o pastelinho, claro!!!
Depois de uma boa espreguiçadela, quando o solinho radiante começou a entrar pela janela do meu quarto, levantei-me e preparei-me para ir passear a minha "ézinha", decidindo ir até à Pastelaria Rodense, em Vila velha de Rodão, tomar o cafezinho matinal acompanhado dum dos seus apetitosos pastelinhos de nata.
Ainda o ponteiro do relógio não tinha alcançado as 9h, já pedalava na Avenida da Europa em direção à Zona Industrial, para entrar na N3 junto à rotunda da Ford.
Temperatura amena e um sol radioso eram um belo convite a umas boas pedaladas, que eu não poderia desperdiçar.
Já na N.3 segui para Sarnadas, onde fleti á esquerda para a velhinha N.18 em direção a Vila Velha de Rodão, com passagem pelo Coxerro.
Foi com agrado que verifiquei que o troço de descida à Serrasqueira e a reta do Coxerro tinham sido intervencionadas com remendos de alcatrão, nas zonas esburacadas e que bem necessitavam.
Pena não terem colocado um novo tapete. Talvez a culpa seja da crise!
Chegado a Vila Velha, fui até à bolaria, onde, como tinha previsto, bebi a nalguinha do café e comi o apetecido pastelito de nata.
Escarrapachei-me na esplanada e por ali estive um bom bocado, entretido com os "meus botões", até que a pequena dose de preguiça que ainda me acompanhava, se esgotasse.
Depois, voltei a montar a "ézinha" e fui fazer um pouco de turismo, com uma visitinha ao cais de embarque e ponte sobre o Rio Tejo, para dar uma mirada naquela beldade, a que denominaram "Portas de Rodão", a face visível de um Tejo vigoroso, e novo, que, há cerca de 500 milhões de anos, escreveu o primeiro capitulo desta história, esculpindo as eras de que não há memória no duro quartzito da serra."(informação turística)
Depois de um par de fotos carregadas na minha digital, regressei à cidade, subindo pela variante a Alvaiade, seguindo depois pela IP2 até à cidade com passagem por Sarnadas, fazendo desde aqui o percurso em sentido inverso.
Foram 70 kms com a minha finória apreciando e gozando esta bela manhã outonal, mais parecida com um dia primaveril.
 
Fiquem bem.
Vêmo-nos nos trilhos, ou fora deles.
AC

Sem comentários: