Avançar para o conteúdo principal

"Trilhos escalenses"

Ontem apesar da previsão de chuva e vento, resolvi ir até às Docas. Estava com vontade de dar uma betêtada.
Quando lá cheguei, faltavam uns 3 ou 4 minutos para as 8h, pelo que pensei que era o único que não estava a "bater bem da bola"!
Estava a tomar o cafezinho no café Sical, quando apareceu o Álvaro Lourenço. Boa! Já tenho quem me ature!
O Álvaro tomou também o cafezinho e quando estávamos já de partida, aparecem o Luís Lourenço e o Nuno Eusébio e pouco depois o Abílio Fidalgo.
"C'um catano" . . . aparece mais malta a pedalar quando chove, do que quando está sol!
Ainda esperamos mais um pouco a ver se a chuva que entretanto começara a cair parasse, mas parecia que queria pegar.
Já que é para a molha, vamos lá embora. saímos em direção aos desembargadores e entramos na estrada que segue para a Fonte Santa.
Passamos a Garalheira e no Monte da Capa Rota entramos definitivamente nos trilhos, rumando aos Quintalreis de Cima.
Descemos ao Compasso e subimos aos Bonchalinos por uma subidinha que secou logo o fatinho à rapaziada, que até ficou com alguns calores.
Seguimos depois para a lameira Brava e subimos ao VG das Ferrarias, onde fletimos para a Tapada do Caraca e Barrão.
Entramos seguidamente num divertido single track até á Balorca e pelo Figueiral seguimos para a Tapada do Zé Lopes e Mata, onde não chegamos a entrar.
Contornamos a gandra e rumamos ao Vale da Silveira e Vale do Cio, continuando pelo Casal Mourão e Hortinha, para entramos depois na zona da Travanca, onde nos divertimos mais um pouco nuns singles ovelheiros.
Chegamos aos Escalos de baixo, onde praticamente começou a chover, pois até então a coisa ia-se mantendo por algumas ameaças.
Passamos a Vinha do Marco, Monte Brito e Curral do Prego, para contornarmos depois o aeródromo em direção ao Alagão, entrando depois na Quelha dos Desembargadores para dar entrada na cidade pelas 12h30 com 59 kms pedalados por trilhos pesados e lamacentos, em animada cavaqueira e que nos valeram, pelo menos a mim, a primeira molha outonal.
 
Fiquem bem.
Vêmo-nos nos trilhos, ou fora deles.
AC

Comentários

Silverio Correia disse…
Betêtada num dia destes só mesmo para atletas de grande calibre! Também tiram partido da vantagem, volta molhada volta abençoada!
Abraço
Silvério

Mensagens populares deste blogue

"Passeio de Mota pela Galiza"

Mesmo com a meteorologia a contrariar aquilo que poderia ser uma bela viagem à sempre verdejante Galiza, 9 amigos com o gosto lúdico de andar de mota não se demoveram e avançaram para esta bonita aventura por terras "galegas"
Com o ponto de inicio no "escritório" do João Nuno para a dose cafeínica da manhã marcada para as 6 horas da manhã, a malta lá foi chegando.
Depois dos cumprimentos da praxe e do cafezinho tomado foi hora de partir rumo a Vila Nova de Cerveira, o final deste primeiro dia de aventura.
O dia prometia aguentar-se sem chuva e a Guarda foi a primeira cidade que nos viu passar. Sempre em andamento moderado, a nossa pequena caravana lá ia devorando kms por bonitas estradas, algumas com bonitas panorâmicas.
Cruzamos imensas aldeias, vilas e cidades, destacando Trancoso, Moimenta da Beira, Armamar, Peso da Régua, Santa Marta de Penaguião, Parada de Cunhos, Mondim Basto e cabeceiras de Basto, onde paramos para almoçar uma bela "posta", que es…

"Volta vadia a ver o mar"

"A felicidade é um fim de tarde olhando o mar" (Marina Nader)
 . . .e foi esse o objetivo deste meu passeio de bicicleta, que gosto de chamar de "volta vadia". Ir ver o mar na Figueira da Foz.
Delineei o percurso, circular como sempre, juntei um grupo de amigos, também eles fãs deste tipo de passeios velocipédicos e fizémo-nos à estrada.
Saímos de Castelo Branco pelas 06h00 e fomos tomar o primeiro cafezinho da manhã à Pastelaria "Estrela Doce", na Sertã, onde o meu irmão Luís nos esperava.
Depois da dose cafeínica e do pastelinho de nata, seguimos para Condeixa a Nova, o local de partida e chegada desta nossa pequena aventura, estacionando as viaturas no parque auto do Lidl.
Cerca das 08h30, já pedalávamos em direção a Ega, a primeira povoação que passaríamos rumo à Figueira da Foz.
O dia estava ótimo para pedalar e o pouco vento que se fazia sentir era nosso aliado.
Sempre em ritmo animado e em alegre cavaqueira, como é habito, quando algumas "per…

"O outro lado da Estrêla"

Uma vez mais, resolvi fazer umas das minhas "voltas vadias", programadas para este ano, que espero mais rico em aventuras lúdicas e de partilha com amigos. Criei um percurso que chamei de "o outro lado da Estrela", pois a nossa querida Serra da Estrela só é conhecida pela maioria da malta pelas " Torres, Adamastores e outros alimentadores de egos". Mas a serra não é só isso, tem o outro lado, bem bonito por sinal, repleto de lindas panorâmicas e bonitas aldeias. Umas históricas, outras não, mas todas elas com encanto e uma história para contar. Juntaram-se à minha ideia, 14 companheiros e amigos, todos eles ávidos de uma boa aventura e bons momentos de convívio e sã camaradagem. Juntámo-nos na Rotunda da Racha, junto à loja do David, a Feelsbike, pelas 07h00, rumando seguidamente ao Vale da Amoreira, onde estabelecemos o "paddock", junto à Casa de Pasto Ideal, para uma reposição calórica e hidratação atempada, logo após a chegada. Saímos para a…